Sevilla estuda oferta do São Paulo pelo atacante Luís Fabiano

sexta-feira, 11 de março de 2011 13:38 BRT
 

MADRI (Reuters) - O Sevilla está analisando a oferta feita pelo São Paulo pelo atacante Luís Fabiano, disse nesta sexta-feira o diretor esportivo do clube espanhol.

O jogador de 30 anos, que comandou o ataque brasileiro na Copa do Mundo da África do Sul, no ano passado, já declarou que está insatisfeito em sua sexta temporada no clube espanhol.

"O São Paulo nos fez uma oferta que estamos estudando e avaliando. É complexo e requer tempo", disse Ramon Rodriguez a jornalistas.

"Não sei o que vai acontecer. Para seguirmos adiante, é preciso que seja uma oferta que nos satisfaça. Do jeito como está, não satisfaz. É uma oferta puramente econômica, não há jogador ou troca envolvida."

Em agosto Luís Fabiano concordou em prorrogar seu contrato com o Sevilla até agosto, mas este ano ele vem enfrentando lesões e performance irregular, apesar de ser o principal artilheiro do Sevilla na La Liga, com dez gols marcados.

Luís Fabiano disse em outubro que pensaria em seu futuro durante a janela de transferências de janeiro, depois de ficar insatisfeito por ser usado como reserva pelo novo treinador Gregorio Manzano.

"Ele é uma personalidade difícil. Às vezes ele pende em uma direção e às vezes na outra, mas ele sempre foi assim", disse Rodriguez.

"Felizmente o presidente do clube e eu o conhecemos melhor que ninguém. Gostamos da personalidade dele."

"A possibilidade de ele ir ao Brasil vem sendo aventada há algum tempo, mas a decisão será do Sevilla e de mais ninguém."

No início da semana Luís Fabiano foi impossibilitado de jogar por seis semanas devido a uma lesão no joelho sofrida na partida em que o Sevilla foi derrotado por 2 x 0 pelo Athletic de Bilbao.

(Por Mark Elkington)

 
<p>Luis Fabiano do Sevilla comemora gol contra o Athletic Bilbao, em outubro de 2010. O Sevilla est&aacute; analisando a oferta feita pelo S&atilde;o Paulo pelo atacante disse nesta sexta-feira o diretor esportivo do clube espanhol. 24/10/2010 REUTERS/Marcelo del Pozo</p>