Renato Augusto decide partida do Bayer Leverkusen contra o Mainz

domingo, 13 de março de 2011 15:22 BRT
 

BERLIM (Reuters) - A rapidez de pensamento de Renato Augusto valeu a vitória do Bayer Leverkusen nos últimos minutos por 1 x 0 sobre o Mainz 05 fora de casa, diminuindo a diferença para o líder do campeonato alemão Borussia Dortmund para nove pontos no domingo.

O Mainz tocava calmamente a bola na defesa a partir de um tiro de meta quando Renato Augusto, correndo de volta após cobrar um escanteio, roubou a bola de Bo Svensson aos 37 minutos do segundo tempo.

O brasileiro avançou antes de acertar um chute de 20 metros de distância surpreendendo o goleiro Christian Wetklo e deixando os defensores do Mainz perplexos olhando uns para os outros sem acreditar.

O Bayer Leverkusen, em segundo lugar, tem 52 pontos em 26 jogos e reduziu a distância para o Borussia Dortmund que perdeu fora de casa para o Hoffenheim no sábado. Ambos os times têm oito partidas a jogar.

"Foi muito importante vencer, especialmente depois de perder para o Villarreal pela Liga Europa," disse o goleiro Rene Adler a respeito da derrota do Bayer em casa por 3 x 2 para os espanhóis na quinta-feira.

O Mainz, que liderou o campeonato alemão no início da temporada, é o quinto com 43 pontos.

Até Renato Augusto marcar, o Leverkusen parecia que iria pagar por falhar em aproveitar suas chances.

Arturo Vidal e Stefan Kiessling desperdiçaram excelentes chances nos primeiros minutos da etapa final, ambas criadas por Renato Augusto.

Vidal chutou sobre o travessão após ser deixado livre na esquerda e Kiessling chutou fraco depois de receber um passe livre de marcação do ex-jogador do Flamengo.

Do outro lado, Andrea Schuerrle desperdiçou a melhor chance do Mainz após chutar pelo alto em cruzamento de Christian Fuchs.

Na luta contra o rebaixamento, o Stuttgart venceu o St Pauli por 2 a 1 na última partida da rodada.

 
<p>Michael Ballack (&agrave; dir.) e Renato Augusto, do Bayer Leverkusen, comemoram ap&oacute;s partida contra o FSV Mainz 05 em Mainz. 13/03/2011 REUTERS/Kai Pfaffenbach</p>