Novo motor da F1 será bom e não tem volta, diz chefe da Williams

terça-feira, 19 de abril de 2011 10:16 BRT
 

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - O novo motor da Fórmula 1 que está sendo desenvolvido para 2013 terá um belo som e será bom para o esporte, por mais que Bernie Ecclestone seja contra, disse o chefe da equipe Williams, Adam Parr.

Falando à Reuters durante o Grande Prêmio da China do último final de semana, Parr deixou claro que é um grande defensor da tecnologia a despeito da crescente oposição de certos setores.

Ecclestone, chefe comercial da Fórmula 1, aproveitou entrevistas recentes para criticar o motor híbrido menor e "mais ecológico" de 1,6 litro e quatro cilindros, expressando preocupações de que terá um som "terrível" e irá afastar os fãs.

Luca di Montezemolo, presidente da Ferrari, cujos modelos esportivos de luxo usam motores V8 ou V12, também pediu que se reconsidere a aposentadoria dos V8 atuais na F1.

Parr, cuja equipe sediada na Grã-Bretanha tem nove títulos mundiais mas ainda não marcou sequer um ponto em três corridas na atual temporada, disse ter uma opinião firme sobre o assunto e que é hora de se pronunciar.

"No fim a Fórmula 1 é definida por sua tecnologia, e sua constante reinvenção, seja no chassi ou no motor, é fundamental à natureza do esporte", afirmou.

"As pessoas que não querem que as coisas mudem são aquelas que por qualquer razão sentem ter uma vantagem deixando as coisas como estão", disse.

"O problema com isso é que o esporte perderá seu interesse muito rapidamente se as pessoas acharem que ele parou no tempo", acrescentou o britânico, cujo time utiliza motores fornecidos pelo fabricante independente Cosworth.   Continuação...

 
<p>O chefe da equipe Williams, Adam Parr, em reuni&atilde;o com chefes da F1 em hotel no aeroporto Heathrow, em Londres. Segundo ele o novo motor da F&oacute;rmula 1 que est&aacute; sendo desenvolvido para 2013 ter&aacute; um belo som e ser&aacute; bom para o esporte, por mais que Bernie Ecclestone seja contra. O an&uacute;ncio foi feito durante o Grande Pr&ecirc;mio da China, no &uacute;ltimo final de semana. Foto de Arquivo 15/05/2009 REUTERS/Luke MacGregor</p>