Pioneira da maratona feminina, norueguesa Waitz morre aos 57

terça-feira, 19 de abril de 2011 12:41 BRT
 

Por Victoria Klesty

OSLO (Reuters) - A norueguesa Grete Waitz, pioneira da maratona feminina e ex-recordista mundial, morreu aos 57 anos após uma longa batalha contra o câncer.

"Uma das chamas mais brilhantes no atletismo moderno se extinguiu, mas as conquistas heróicas de Grete Waitz viverão eternamente", disse o presidente da Associação Internacional das Federações de Atletismo (Iaaf), Lamine Diack, em comunicado.

"A dedicação, perseverança e coragem com a qual Grete esculpiu sua carreira no atletismo nas pistas de corrida e nas ruas é um exemplo para todos nós, assim como a forma positiva como batalhou contra doença que abalou sua vida nos últimos anos", acrescentou Diack.

Waitz conquistou o primeiro título mundial da maratona feminina em Helsinque, em 1983, e um ano depois levou a medalha olímpica de prata em Los Angeles. Foi a primeira vez que os Jogos Olímpicos incluíram uma categoria feminina para um evento de corrida.

Ela venceu sua primeira maratona da cidade de Nova York em 1978, estabelecendo o recorde mundial da prova. A norueguesa venceu a tradicional corrida mais oito vezes na carreira.

Waitz também venceu a maratona de Londres em 1983 e 1986, estabelecendo recordes nas duas ocasiões.

Waitz participou de sua última maratona em novembro de 1992 com o co-fundador da maratona de Nova York Fred Lebow, para comemorar seu 60o aniversário. Ela e Lebow, que foi diagnosticado com câncer no cérebro no começo de 1990 e morreu em 1994, atravessaram a linha de chegada juntos, com um tempo de 5h32min35s.