Cingapura é reduto de fraudadores de jogos, diz Fifa

sábado, 30 de abril de 2011 14:26 BRT
 

CINGAPURA (Reuters) - Uma "academia de fraudadores de jogos" operando em Cingapura pode ser responsável pela compra de partidas em todo o mundo, disse Chris Eaton, chefe de segurança da Fifa, em uma entrevista a um jornal neste sábado.

Eaton, que trabalhou para a Interpol por mais de uma década antes de se juntar à entidade que controla o futebol, disse ao jornal The New Paper, de Cingapura, que uma investigação global de fraudes em partidas viu muitas das linhas de inquérito concentradas na cidade-estado do sudeste asiático.

"Cingapura parece ter um papel proeminente nessas alegações (fraudes em partidas)", declarou Eaton na entrevista feita na Finlândia.

"Chego à conclusão de que Cingapura parece ter uma academia de fraudadores de jogos, e que muitos dos inquéritos que estamos conduzindo em nome da Fifa estão voltando a Cingapura."

Investigadores entregaram suas descobertas a Sepp Blatter, presidente da Fifa, que já prometeu coibir as fraudes.

Eaton disse que embora as apostas não sejam um problema no futebol, redes criminosas estão ansiosas para lucrar com as dezenas de milhões de euros obtidos pelas fraudes em partidas.

O jornal afirmou que um relato publicado em dezembro de 2009 estimou que 450 bilhões de dólares por ano são apostados na Ásia, somadas apostas legais e ilegais.

"Com esse tipo de lucro financeiro, os criminosos, sendo os animais gananciosos que são, tentam encontrar meios de tirar proveito das oportunidades", acrescentou.

Na Finlândia, a Tampere United foi expulsa de todas as competições pela associação de futebol local no começo deste mês por irregularidades relacionadas a um contrato de marketing.   Continuação...