Liverpool vence Newcastle e continua a subir na tabela

domingo, 1 de maio de 2011 11:59 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O Liverpool bateu o Newcastle United por 3 x 0 no campeonato inglês neste domingo, chegando ao quinto lugar e mantendo sua escalada na tabela que começou quando Kenny Dalglish assumiu o cargo de técnico interino em janeiro.

Um gol de Maxi Rodriguez aos 10 minutos de jogo, um pênalti convertido por Dirk Kuyt aos 14 do segundo tempo e um arremate de Luis Suarez seis minutos depois levaram o Liverpool à zona de classificação para a Liga Europa, deixando o Tottenham Hotspur em sexto lugar. Ambos têm 55 pontos, mas o Liverpool tem melhor saldo de gols.

Na outra partida no mesmo horário, o Birmingham empatou em 1 x 1 com o Wolverhampton Wanderers no St Andrews, deixando os Wolves ameaçados de rebaixamento. Eles continuam na penúltima colocação com 34 pontos, a um ponto de sair da zona de descenso, enquanto o Birmingham é o 15o com 39 pontos.

O jogo mais esperado do domingo acontece no Emirates Stadium onde o Arsenal, que tem apenas chance matemática de conquistar o título, joga contra o líder Manchester United.

O Manchester City, buscando confirmar sua vaga na Liga dos Campeões, encara o último colocado West Ham United.

O Liverpool, que era o 12º colocado na tabela quando Dalglish substituiu Roy Hodgson em janeiro, raramente foi ameaçado pelo Newcastle.

Os Reds saíram na frente aos dez minutos quando Rodriguez aproveitou o descuido da defesa do Newcastle e ampliou quando Mike Williamson derrubou Suarez na área e Kuyt cobrou bem o pênalti.

Kuyt e Suarez tabelaram e o uruguaio marcou o terceiro do Liverpool.

O clássico das Midlands entre Birmingham e Wolves teve um belo começo com Steven Fletcher, de pênalti, colocando os Wolves à frente no sétimo minuto, antes de Sebastian Larsson empatar para os anfitriões aos 27 minutos aproveitando uma cabeçada para trás de Michael Mancienne.

 
<p>Fabricio Coloccini (direita), do Newcastle, desafia Luis Suarez (esquerda), do Liverpool, em partida do campeonato ingl&ecirc;s. 01/05/2011 REUTERS/Russell Cheyne</p>