Acusações de corrupção prejudicam imagem do futebol, diz Pelé

domingo, 15 de maio de 2011 16:20 BRT
 

SANTIAGO (Reuters) - As acusações contra o paraguaio Nicolás Leoz e o brasileiro Ricardo Teixeira de exigirem favores em troca de votos para a eleição da sede da Copa do Mundo de 2018 não fazem bem ao futebol, disse neste domingo o astro Pelé.

O ex-presidente da Federação Inglesa de Futebol, David Triesman, acusou quatro membros do comitê executivo da Fifa, entre eles Leoz e Teixeira -- presidentes de Confederação Sul-Americana e da Confederação Brasileira de Futebol, respectivamente -- de exigirem favores para votar na Inglaterra como sede do Mundial de 2018.

A eleição, em dezembro passado, foi decidida em favor da Rússia.

"Não tenho conhecimento sobre o que exatamente aconteceu. De qualquer maneira, o que estão falando não é algo bom", disse Pelé em coletiva de imprensa em Santiago do Chile.

"Quando se fala em corrupção, em compra de votos e coisas assim, acho que não é algo bom para o esporte", disse o ex-atacante, que integra a Comitê de Futebol da Fifa.

Os outros acusados por Triesman -- que fez as acusações na terça-feira para uma comissão parlamentar britânica- são Jack Warner, de Trinidad e Tobago e representante da Concacaf, e o tailandês Worawi Makudi, da Confederação Asiática de Futebol.

Triesman disse que Leoz exigiu ser laureado como "sir", enquanto Teixeira se mostrou disposto a receber uma oferta.

Pelé visita o Chile para participar de uma série de atividades como representante do Banco Santander, patrocinador da Copa Libertadores e da próxima Copa América, na Argentina.

(Reportagem de Claudio Cerda)

 
Pelé visita o presidente chileno, Sebastiánt Piñera, em Santiago. 15/05/2011 REUTERS/Josz Manuel de la Maza/La Presidencia/Divulgação