Fifa investigará denúncia sobre suborno em escolha de sede

quinta-feira, 19 de maio de 2011 15:06 BRT
 

Por Brian Homewood

ZURIQUE (Reuters) - A Fifa vai interrogar um informante que é uma figura central nas acusações da imprensa de que o Catar teria subornado dois membros do comitê executivo para votarem na sua candidatura para sede da Copa do Mundo de 2022, disse o presidente da entidade Joseph Blatter nesta quinta-feira.

O presidente da Fifa, que concorrerá à reeleição para um quarto mandato em junho, também manteve a possibilidade de refazer a votação, vencida pelo Catar, caso as alegações se comprovem.

"Organizamos, e os jornais concordaram com isso, para trazer o informante a Zurique e, em seguida, teremos um debate, uma investigação", disse Blatter a repórteres.

Na terça-feira passada, durante um inquérito parlamentar britânico para desvendar por que a Inglaterra não conseguiu garantir a Copa de 2018, um membro do Parlamento, Damian Collins, disse que havia provas do jornal Sunday Times de que Issa Hayatou, dos Camarões, e Jacques Anouma, da Costa do Marfim, foram pagos pelo Catar.

O Catar foi escolhido em dezembro para sediar a Copa do Mundo de 2022, vencendo Estados Unidos, Austrália, Japão e Coreia do Sul. O país negou categoricamente as acusações de ter pago propina a Hayatou e Anouma.

Questionado se a decisão de ceder a Copa ao Catar poderia ser revertida, Blatter respondeu: "Esta é uma ideia que já circula no mundo, o que é alarmante."

"Não peça para eu responder sim ou não, cada coisa a seu tempo."