22 de Maio de 2011 / às 16:36 / 6 anos atrás

ENTREVISTA-Ecclestone: equipes de F1 poderiam usar V8's em 2013

Por Alan Baldwin

BARCELONA (Reuters) - A entidade dirigente da Fórmula 1 abrandou sua posição sobre a introdução de motores menores e menos poluentes a partir de 2013, disse no domingo o diretor-comercial, Bernie Ecclestone.

O dirigente máximo da Fórmula 1 disse à Reuters que o presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt, sugeriu na reunião do Grande Prêmio da Espanha permitir às equipes que continuem usando os velhos motores V8 por mais um ano junto aos novos.

Ecclestone, que tem sido um duro crítico do motor turbo de 1,6 litro e quatro cilindros híbrido defendido por Todt e apoiado pela fabricante francesa Renault, sentiu no entanto que a proposta não funcionaria.

“O que ele (Todt) está falando agora é sobre deixar o V8 correr por um ano (a mais) ou algo assim. Mas eu quero dizer, fórmulas de equivalência nunca funcionam, ou funcionam?”, disse ele.

A Fórmula 1 passou por uma situação parecida antes e mais recentemente quando a Toro Rosso, limitada financeiramente, foi autorizada a correr com um motor V10 em 2006, enquanto as outras equipes competiram com V8‘s.

Perguntado se o compromisso de Todt era um sinal de maior flexibilidade, Ecclestone respondeu: “Nós temos que ver agora, eu não sei, eu espero, eu espero, eu espero.”

“Acho que ele está começando a entender que todos os fabricantes têm ideia de que vai custar muito dinheiro a eles e que eles não conseguirão manter seus clientes porque os motores serão muito caros.”

Todt encontrou fabricantes de motores e Martin Whitmarsh, da McLaren, chefe da Associação das Equipes da Fórmula 1, no paddock do Circuito da Catalunha.

Os presentes ficaram em silêncio sobre as negociações, mas Ecclestone disse que sua opinião não foi influenciada de maneira alguma.

“Ao contrário do que as pessoas pensam, eu não tenho problema com Jean (Todt). Temos sido amigos por muitos, muitos anos”, disse ele.

“Eu acho que toda a ideia deste motor é o caminho errado a seguir. Eu não mudei, e eu disse a ele ontem (sábado), não mudei minha opinião.”

Ecclestone disse estar pensando puramente sob um ponto de vista comercial, com os promotores pensando como os novos motores -- que serão muito diferentes e foram comparados aos da GP3 -- podem afetar as vendas de ingressos.

“As pessoas vem à Fórmula 1, eles querem o barulho e toda a atmosfera da Fórmula 1 e se isso desaparece, eles (os espectadores) vão diminuir”, disse.

Ecclestone afirmou que o barulho é um forte fator do apelo duradouro do esporte.

“Absolutamente. Isso é tudo. Você não vê as pessoas ficarem para assistir à GP3 e até a GP2, elas vão embora. Elas estão aqui pelo ruído da Fórmula 1, é tudo o que elas querem”, ele disse.

O britânico disse que Todt continuou convencido de que a Fórmula 1 precisa se posicionar como um esporte com combustível mais eficiente e ambientalmente amigável.

“Jean ainda acredita que devemos enviar uma mensagem”, declarou. “Eu não sei qual é a mensagem porque há mais combustível sendo utilizado na Volta da França do que na Fórmula 1... Na minha opinião, tudo não passa de uma grande vitrine para razões equivocadas”, acrescentou o britânico.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below