País terá edital de concessão de aeroportos em dezembro

terça-feira, 31 de maio de 2011 19:56 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O edital de concessão de novas áreas dos aeroportos de Guarulhos e Viracopos, no Estado de São Paulo, e de Brasília deve ficar pronto em dezembro, anunciou o governo nesta terça-feira.

Os investidores privados terão participação de até 51 por cento nas Sociedades de Propósito Específico (SPEs), modelo adotado para as concessões dos terminais. A Infraero, estatal que administra os aeroportos, terá fatia de até 49 por cento.

"A metodologia e os demais critérios do edital de concessão serão elaborados por empresas especializadas, devendo estar prontos em dezembro de 2011", informou a Secretaria de Aviação Civil em nota. "A Infraero continuará a implementar os investimentos previstos no seu planejamento estratégicos", acrescentou.

Os estudos para concessão dos aeroportos de Confins, em Minas Gerais, e do Galeão, no Rio de Janeiro, ainda estão em andamento, informou o comunicado.

O anúncio ocorreu após reunião entre a presidente Dilma Rousseff, ministros, governadores e prefeitos das cidades que receberão jogos da Copa do Mundo de 2014.

Os aeroportos são considerados uma questão essencial para a realização da Copa e da Olimpíada de 2016 no Brasil, e o ritmo das obras já foi criticado por autoridades do país e do exterior.

Na semana passada, a Fifa alertou autoridades brasileiras em relação à infraestrutura de transporte das cidades-sede do torneio, especialmente sobre a operação e capacidade dos aeroportos.

Levantamento divulgado em abril pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) indicou que nove dos 13 aeroportos que estão sendo modernizados para a Copa não ficariam prontos a tempo para o evento, o que foi rebatido pelo governo.

(Reportagem de Hugo Bachega e Leonardo Goy)

 
A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, conversa com o ministro dos Esportes,  Orlando Silva, durante encontro com governadores e prefeitos das cidades que abrigarão eventos da Copa do Mundo de 2014, no Palácio do Planalto, Brasília. 31/05/2011 REUTERS /Ueslei Marcelino