Denúncias na Fifa não afetam preparação para Copa 2014--ministro

terça-feira, 31 de maio de 2011 19:44 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro do Esporte, Orlando Silva, disse nesta terça-feira que os compromissos do Brasil para sediar a Copa das Confederações de 2013 e a Copa do Mundo de 2014 não serão impactados pelas denúncias de corrupção na Fifa.

"As denúncias que envolvem a Fifa são temas internos da Fifa, examinados pelo comitê de ética da entidade. Isso impacta exclusivamente o trabalho da Fifa", disse o ministro a jornalistas após reunião da presidente Dilma Rousseff com prefeitos e governadores.

"Os compromissos para a Copa das Confederações e para a Copa de 2014 serão cumpridos plenamente. Não impacta em nada o trabalho do país", acrescentou.

A entidade que controla o futebol mundial vice uma crise. Acusações de corrupção envolvendo dirigentes do comitê executivo da Fifa, que estão sendo investigados pela comissão de ética da entidade, levaram à suspensão do vice-presidente da Fifa e presidente da Concacaf, Jack Warner, e do presidente da Confederação Asiática de Futebol, Mohamed Bin Hammam, no fim de semana.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, foi inocentando da mesma investigação e agora vai concorrer sozinho por um quarto mandato, depois que Bin Hammam retirou sua candidatura em consequência das acusações.

As alegações de corrupção começaram desde a eleição para as sedes dos Mundiais de 2018 e 2022, em Zurique, em dezembro.

O Catar foi acusado de comprar votos em sua vitória para organizar a Copa de 2022, enquanto quatro dirigentes do comitê executivo da Fifa, incluindo o brasileiro Ricardo Teixeira, foram acusados pelo ex-líder da candidatura inglesa para 2018 de terem oferecido vender seus votos.

(Reportagem de Hugo Bachega e Leonardo Goy)