Federação alemã de futebol questiona Copa do Mundo do Catar

quarta-feira, 1 de junho de 2011 11:08 BRT
 

BERLIM (Reuters) - O presidente da Federação Alemã de Futebol pediu à Fifa nesta quarta-feira que reavalie a decisão de entregar a organização da Copa do Mundo de 2022 ao Catar, após o escândalo de corrupção envolvendo a entidade mundial.

"Há um grau considerável de suspeita que não se pode simplesmente ignorar, e creio que a concessão desta Copa do Mundo nessas condições precisa ser examinada novamente", disse Theo Zwanziger à TV alemã, referindo-se ao Catar.

"Primeiramente, gostaria de comentar como isso deveria ser feito só depois de conhecer melhor os fatos. Como disse, sou um intruso e não era membro do comitê executivo (da Fifa)", afirmou.

A reputação do futebol foi abalada no mundo todo após uma série de alegações de corrupção, a suspensão de dois importantes dirigentes da Fifa e insinuações de que o Catar comprou o direito de organizar o Mundial de 2022. O país do Golfo nega veementemente as acusações.

"Se a Fifa se comportar como as pessoas esperam, será adotando ações claras contra este tumor cancerígeno do suborno, e então não haverá razão para estas preocupações", disse Zwanziger, referindo-se a temores de debandada de patrocinadores.

"Nenhum de nós poderia ter imaginado tal escândalo. As suspeitas recaindo sobre membros do executivo da Fifa não têm fim", afirmou.

"A tarefa agora é trazer luz ao assunto de uma maneira correta, punir os culpados, e desenvolver mecanismos que evitem que algo assim aconteça novamente", acrescentou Zwanziger.

O dirigente alemão rejeitou o pedido da federação de futebol inglesa de adiar a reeleição do presidente da Fifa, Joseph Blatter, alegando que isso deixaria a entidade sem um líder para ir a fundo nas investigações.

Zwanziger, entretanto, disse que pleiteia uma votação secreta na eleição da Fifa nesta quarta-feira, para que eventuais críticos possam submeter um voto de protesto sem medo de represálias.

(Reportagem de Christiaan Hetzner)