Austrália cobra reformas de presidente da Fifa

quinta-feira, 2 de junho de 2011 11:11 BRT
 

SYDNEY (Reuters) - O presidente da Fifa, Joseph Blatter, deve ser cobrado por sua promessa de reformar a entidade após a reeleição em meio a um grande escândalo de corrupção, disse o ministro do Esporte da Austrália, Mark Arbib, nesta quinta-feira.

A Austrália ainda se ressente por sua campanha de 47,7 milhões de dólares para sediar a Copa do Mundo de 2022 só ter recebido um de 22 votos na eleição de dezembro do comitê executivo da Fifa.

Blatter foi reeleito sem adversários para um quarto mandato de quatro anos na quarta-feira, e de imediato propôs mudanças para tornar a escolha dos anfitriões do Mundial mais democrática e intensificar a luta contra a corrupção.

A Associação Europeia de Clubes (ECA na sigla em inglês) liderou os pedidos para que Blatter implemente mais reformas, e Arbib somou sua voz ao coro nesta quinta-feira, dizendo que a Fifa precisa seguir o exemplo do Comitê Olímpico Internacional (COI).

"A reforma é necessária", disse ele à rádio ABC. "O que a Fifa precisa é de uma ação como a ocorrida no COI depois de Salt Lake City, quando o COI limpou a casa."

"E claro que os membros eleitores da Fifa precisam fazer com que Blatter cumpra sua palavra. Ele vem dizendo que irá reformar a organização, e é hora de isso acontecer."

O COI fez grandes alterações em seu processo de seleção após o escândalo de corrupção de 1998 em torno da escolha da cidade norte-americana de Salt Lake City como sede dos Jogos de Inverno de 2022.

(Reportagem de Nick Mulvenney)