4 de Junho de 2011 / às 15:54 / em 6 anos

Maradona ataca "dinossauros" da FIFA

Diego Maradona gesticula durante primeira entrevista coletiva como treinador da equipe Al Wasl, dos Emirados Árabes Unidos, em Dubai. 04/06/2011 REUTERS/Jumana El Heloueh

Por Brian Murgatroyd

DUBAI (Reuters) - Diego Maradona chamou os dirigentes da FIFA de “dinossauros” neste sábado e disse que a entidade que dirige o futebol mundial é conduzida por homens que não entendem de futebol têm objetivo único de poder.

O ídolo argentino, em sua primeira entrevista coletiva como treinador da equipe Al Wasl, dos Emirados Árabes Unidos, foi enfático sobre a reeleição de Joseph Blatter, 75 anos, para a presidência da FIFA por mais quatro anos.

“Tudo continuará na mesma... a FIFA é um grande museu e eles são dinossauros que não querem desistir do poder,” disse o treinador que levou a seleção do seu país às quartas-de-final da Copa do Mundo da África do Sul no ano passado.

”Não estou surpreso por Blatter ter sido reeleito porque eles só enxergam eles mesmos. Eles ficarão até completarem 105 anos de idade,“ acrescentou. ”Eu espero que eles o demitam mas não tenho nenhuma ilusão quanto a isso.

“Fui convidado para fazer parte da família FIFA, mas eu disse que se ninguém joga futebol não é uma família,” disse Maradona.

“Muitas pessoas concordam comigo quando eu digo que muitas coisas não são claras no futebol nos dias de hoje e isso não é algo que as pessoas que assistem futebol merecem. A situação será a mesma enquanto o futebol for gerido por pessoas que não entendem de futebol.”

Blatter foi reeleito para o quarto mandato após o seu adversário do Qatar, Mohamed Bin Hammam, desistir da disputa em meio a denúncias de compra de votos.

Maradona voou para Dubai mais tarde na sexta-feira para assinar um contrato de dois anos com o Al Wasl, time que já conquistou sete títulos nacionais mas nenhum desde 2007.

A coletiva de imprensa em um hotel cinco estrelas em Palm Jumeirah, uma ilha artificial em forma de palmeira na costa de Dubai, foi acompanhada por cerca de 100 repórteres e mais de 20 equipes de TV.

Os números, com jornalistas de Espanha a Japão, contrastaram com a pouca cobertura da mídia e a baixa média de público da maioria das partidas da liga nacional, disputada por 12 times.

A média de público do Al Wasl em casa nas partidas da liga nesta temporada foi de 3.360 espectadores por jogo, com menos de 1000 em três de suas partidas em casa.

Maradona deve assistir a sua nova equipe em ação no domingo à noite, na partida contra o Sharjah pela última rodada, antes de assumir o comando à frente da nova temporada que começa em setembro.

O Al Wasl está na quinta colocação da Etisalat Pro League. Os quatro primeiros se classificam para a Liga dos Campeões da Ásia.

A Liga dos Emirados Árabes Unidos tem sido considerada como a última parada antes da aposentadoria de alguns dos melhores jogadores do mundo.

George Weah, melhor jogador do mundo em 1995, defendeu o campeão deste ano, o Al Jazira, entre de 2001 a 2003, enquanto o ex-capitão da seleção italiana Fabio Cannavaro atualmente joga no Al Ahli. Cada time pode escalar três jogadores estrangeiros.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below