Chefe da FIA perdoa Lewis Hamilton após receber carta

quinta-feira, 9 de junho de 2011 13:13 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O piloto britânico Lewis Hamilton escreveu uma carta pessoal ao chefe da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt, para escapar de uma possível suspensão por causa de seu destempero no Grande Prêmio de Mônaco contra comissários e adversários.

Segundo o jornal britânico The Times nesta quinta-feira, Todt disse que o piloto da McLaren poderia receber uma dura punição por seus comentários depois da corrida, realizada em 29 de maio, mas que o assunto foi encerrado com a correspondência.

"É inaceitável. Eu não queria ter reagido de modo exagerado", disse o francês. "Eu poderia ter pedido ao tribunal que tratasse do problema, mas nós nunca abrimos oficialmente um caso e ele foi com o pai pedir desculpas aos comissários."

"Ele me escreveu, e fica entre ele e a FIA.Talvez tivesse sido uma decisão melhor enviá-lo ao tribunal e proibi-lo de participar de seis grande prêmios ou algo assim", acrescentou Todt. "Mas para mim, está encerrado."

Campeão mundial de 2008, Hamilton foi procurar os comissários para fazer as pazes, no domingo à noite, em Mônaco, e também pediu desculpas a seus rivais, via Twitter, depois de ter se descontrolado.

O piloto da McLaren colidiu com Felipe Massa, da Ferrari, e Pastor Maldonado, da Williams, durante a prova. Os dois não puderam continuar na corrida, mas Hamilton terminou em sexto e depois os chamou de ridículos em uma entrevista na BBC.

O britânico também indagou, fazendo piada, se estaria sendo tratado de modo diferente pelos comissários por ser negro.

Hamilton já havia descrito as ações dos comissários contra ele, na imposição de penalidades, como "uma piada".

(Reportagem de Alan Baldwin)

 
Lewis Hamilton, da McLaren antes da 1a sessão de treino do Grande Prêmio da F1 de Mônaco. Hamilton escreveu uma carta pessoal ao chefe da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt, para escapar de uma possível suspensão por causa de seu destempero no Grande Prêmio de Mônaco contra comissários e adversários. Segundo Todt o assunto foi encerrado com a correspondência. Foto de Arquivo. 26/05/2011 REUTERS/Max Rossi