Dirigente de futebol do Suriname confirma ter recebido US$40 mil

quinta-feira, 9 de junho de 2011 18:15 BRT
 

Por Simon Evans

MIAMI (Reuters) - O presidente da Associação de Futebol do Suriname confirmou na quinta-feira ter recebido um presente de 40 mil dólares em dinheiro, depois de uma reunião com o chefe suspenso da Confederação Asiática de Futebol Mohamed Bin Hammam. Ele disse que foi informado que o dinheiro tinha origem na União Caribenha de Futebol (CFU, da sigla em inglês).

A Fifa está investigando os eventos relacionados com a reunião após alegações de suborno. Jack Warner, presidente da CFU e da Concacaf, foi suspenso pelo comitê de ética da Fifa junto com Bin Hammam até que uma investigação completa seja feita.

A Federação de Futebol de Porto Rico também confirmou ter recebido o dinheiro e, como a de Suriname, se ofereceu a devolvê-lo.

O presidente da federação surinamesa, Louis Giskus, que coopera com o inquérito da Fifa, disse à Reuters que ele recebeu como presente um projetor e um laptop junto com um envelope pardo contendo 40 mil dólares.

"Nós contamos para a Fifa sobre os presentes. O dinheiro está em nossa conta bancária. Depois que recebemos os presentes, decidimos não usá-los e vamos manter o dinheiro no banco até que a Fifa nos diga o que fazer", disse.

"Eles disseram para nós que o projetor e o laptop vinham da Concacaf e que o dinheiro era da CFU", disse Giskus.

Ele disse que os presentes foram entregues pelo executivo do CFU Jason Sylvester, que também foi suspenso pela Fifa. "Eu perguntei a Jason Sylvester para que o dinheiro foi dado e ele disse que era para o desenvolvimento do futebol no Suriname."

Bin Hammam, do Catar, nega veementemente qualquer irregularidade. Ele deveria ter enfrentado Joseph Blatter na eleição presidencial da Fifa na semana passada, mas retirou a sua candidatura e foi, na sequência, suspenso da entidade que organiza o futebol mundial.

O comitê de ética da Fifa recebeu denúncias em um relatório, produzido em nome do secretário-geral da Concacaf, Chuck Blazer, contendo detalhes das reuniões da CFU e com declarações de que pagamentos em dinheiro foram feitos.