Defesas enfrentarão grande desafio na Copa América, diz Gamarra

sexta-feira, 10 de junho de 2011 12:35 BRT
 

Por Claudio Cerda

SANTIAGO (Reuters) - O grande número de atacantes de primeiro nível na Copa América causará dificuldades para os defensores, disse o ex-zagueiro paraguaio Carlos Gamarra.

O ex-jogador, que passou por Flamengo, Corinthians e Inter de Milão e disputou três Mundiais, destacou que o Uruguai tem a defesa mais sólida das equipes que participarão do torneio, que qualificou como sendo o melhor dos últimos anos pela grande quantidade de astros consagrados que integrarão as seleções.

"Vai ser um trabalho árduo para os que jogam atrás. Não será nada fácil para os zagueiros e os volantes. Vão ter que trabalhar muito para não deixar espaços para esses jogadores, que realmente são diferentes", disse Gamarra à Reuters por telefone.

"Agora, há muitos jogadores dessa classe, mas há alguns que se destacam mais, como no caso de Neymar, Alexis Sánchez, (Lionel) Messi", acrescentou.

Para Gamarra, ex-capitão da seleção de seu país, o Uruguai poderá ter menos problemas que seus rivais na defesa, já que sua zaga é superior às demais.

"Os uruguaios marcam muito bem e são muito fortes, creio que sempre se caracterizam por blindar bem o meio e atrás, e o resto, solucionam com algumas individualidades. Para mim, a defesa do Uruguai será uma das melhores que disputarão a Copa América", acrescentou.

Gamarra, que também jogou por Internacional e Palmeiras, afirmou que a Argentina e o Brasil complicarão as coisas para seus rivais mais que de costume, pela responsabilidade com que chegam ao torneio. A Copa América será disputado entre 1o e 24 de julho na Argentina.

"O Brasil vai entrar com todas as suas cartas porque não disputará as eliminatórias e será praticamente a única grande competição que enfrentará antes do Mundial (de 2014). E a Argentina está obrigada a ganhar a Copa América, e seguramente vai entrar com essa pressão", afirmou.

O Brasil venceu as últimas duas edições do torneio, nas quais derrotou a Argentina na final.