Irmãs Williams serão cabeças-de-chave em Wimbledon

quarta-feira, 15 de junho de 2011 11:58 BRT
 

Por Martyn Herman

LONDRES (Reuters) - A atual campeã de Wimbledon Serena Williams será a cabeça-de-chave número oito do torneio de Wimbledon, que começa na próxima semana, mas a irmã Venus será apenas a pré-classificada número 24, anunciou nesta quarta-feira o All England Club.

Serena era líder do ranking mundial quando conquistou seu quarto título de simples de Wimbledon no ano passado, seu 13o título de Grand Slam, mas agora está apenas em 26o lugar, após 11 meses sem jogar devido a contusões e um grave problema de saúde.

A norte-americana, de 29 anos, precisou ser operada após cortar o pé com vidro dentro de um restaurante em Munique em julho do ano passado, e depois foi submetida a um tratamento de emergência em fevereiro para embolia pulmonar. Ela só voltou a jogar esta semana, no torneio de Eastbourne, para o qual foi convidada.

Venus, que tem cinco títulos de simples em Wimbledon mas agora está apenas em 33o lugar no ranking, também voltou às quadras em Eastbourne pela primeira vez desde o Aberto da Austrália, em janeiro, também por causa de lesões.

As irmãs, que juntas conquistaram nove dos últimos 11 títulos de Wimbledon, receberam uma ajuda da organização na divisão das cabeças-de-chave para garantir "um sorteio equilibrado", segundo o All England Club.

As outras pré-classificadas seguem o ranking da WTA, com a dinamarquesa número um do mundo, Caroline Wozniacki, como primeira cabeça-de-chave.

A belga Kim Clijsters, que seria a cabeça-de-chave número dois, anunciou que não disputará o torneio devido a uma lesão no pé.

Na chave masculina, os cabeças-de-chave seguem principalmente o ranking da ATP de 13 de junho, com os quatro primeiros colocados Rafael Nadal, Novak Djokovic, Roger Federer e Andy Murray nas primeiras posições.

O norte-americano Andy Roddick, três vezes vice-campeão de Wimbledon, será o oitavo cabeça-de-chave apesar de ocupar o 10o lugar no ranking, o que significa que ele não encontrará nenhum "top 4" antes das quartas de final.

(Reportagem de Martyn Herman)