Vice-presidente acusado de corrupção deixa a Fifa

segunda-feira, 20 de junho de 2011 15:32 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O vice-presidente da Fifa Jack Warner renunciou ao cargo, e uma investigação de alegações de corrupção feitas contra ele foi abandonada, disse nesta segunda-feira o organismo que rege o futebol mundial.

Warner, que tinha sido suspenso enquanto um comitê de ética investigava alegações de pagamento de propinas, renunciou a todos seus cargos no futebol internacional, incluindo o de presidente da Concafaf.

"A Fifa lamenta os acontecimentos que levaram à decisão de Warner", disse a Fifa em comunicado à imprensa.

Natural de Trinidad e Tobago, Warner estava sendo investigado em um escândalo de venda de votos relacionado à campanha eleitoral do então candidato à presidência da Fifa Mohammed bin Hammam, que abalou a entidade no início deste mês.

Warner, que depois de sua suspensão tinha ameaçado desencadear um "tsunami no futebol", revelando o teor de emails trocados com o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, esteve envolvido por quase 30 anos com o organismo.

"Sua renúncia foi aceita pelo organismo que rege o futebol mundial, e sua contribuição para o futebol internacional, em especial para o futebol caribenho, e para a confederação Concafaf, é reconhecida e apreciada", disse a Fifa.

A Concafaf é o organismo regional que rege o futebol na América do Norte e Central e o Caribe e atualmente está realizando a Copa Ouro nos Estados Unidos.

(Reportagem de Sonia Oxley)