"Tudo que tinha de ser dito, foi dito", diz Fay, da BRF

terça-feira, 21 de junho de 2011 18:14 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente-executivo da Brasil Foods (BRF), José Antônio do Prado Fay, afirmou que a companhia discutiu a fundo com o Cade nesta terça-feira o processo que corre no órgão de defesa da concorrência sobre a união Perdigão-Sadia que criou o grupo.

Fay indicou em comentários rápidos a jornalistas que aguardavam pelo fim da reunião, em Brasília, que a BRF apresentou aos conselheiros do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) uma proposta de acordo para que a união Perdigão-Sadia seja aprovada, ainda que com restrições.

Ele não forneceu, no entanto, qualquer detalhe do que poderia ser um entendimento.

"Encerramos o assunto. Tudo o que tinha que ser dito, foi dito", afirmou Fay.

"Tenho duas dificuldades grandes. Uma é a CVM, porque tudo o que a gente tratar disso envolve declarações da companhia. E a outra dificuldade é a do próprio processo que temos de manter sigilo. Neste momento temos pouco a acrescentar", afirmou o presidente da BRF.

A companhia tem buscado convencer membros do Cade de que a união Perdigão-Sadia não é prejudicial ao consumidor e que pode existir, com ajustes.

O relator do processo que analisa a fusão, Carlos Ragazzo, votou pela rejeição do negócio, mas houve um pedido de vista do processo e o julgamento ainda não foi retomado.

"A ideia (nesta terça-feira) era ter uma reunião de trabalho, discutir pontos, enfim, o que foi feito", acrescentou Fay, antes de deixar o local.

(Reportagem de Hugo Bachega)