Fifa encontra evidência "clara" de suborno

quarta-feira, 22 de junho de 2011 16:16 BRT
 

Por Mitch Phillips

LONDRES (Reuters) - O comitê de ética da Fifa encontrou evidências "amplas, convincentes e claríssimas" de que Mohamed bin Hammam e Jack Warner estiveram envolvidos numa tentativa de suborno, de acordo com um relatório preliminar que levou à suspensão das duas autoridades.

Warner renunciou à vice-presidência da Fifa e à presidência da Concacaf na segunda-feira, levando a entidade que governa o futebol a cancelar uma investigação sobre as acusações de suborno que pesavam contra ele e o deixando "uma suposição de inocência".

O relatório do comitê de ética, compilado pelo juiz namibiano Petrus Damused no mês passado e visto pela Reuters na quarta-feira, diz que havia um "caso convincente" de que Bin Hamman esteve envolvido num ato de corrupção e de que Warner foi cúmplice.

O comitê de ética, a partir da evidência, suspendeu a dupla. Bin Hammam tinha se retirado da campanha presidencial, deixando Joseph Blatter obter um quarto mandato sem concorrentes.

Bin Hamman disse na quarta-feira não ter feito nada de errado. Warner, que já negou ter feito qualquer coisa errada, não estava disponível para comentar o caso.

A Fifa disse que não faria comentários sobre o relatório.

As acusações centram-se em uma reunião da União Caribenha de Futebol (CFU) em Trinidad em maio.

"A evidência ampla, convincente e claríssima permite concluir prima facie que o acusado (Warner) iniciou e organizou um encontro especial das associações do CFU para o sr. Bin Hamman", diz o relatório.   Continuação...