Pelé diz que "assusta" situação das obras para Copa de 2014

quarta-feira, 22 de junho de 2011 19:42 BRT
 

Por Tatiana Ramil

SÃO PAULO (Reuters) - Pelé continua preocupado com o andamento das obras no Brasil para a Copa do Mundo de 2014 e disse que a polêmica envolvendo o estádio paulista para o Mundial é uma "briga política".

"Fizemos nosso trabalho de trazer a Copa do Mundo e a Olimpíada (de 2016) ... e infelizmente nos deparamos com o que vocês estão vendo no Brasil e nos assusta muito", afirmou o ex-jogador em entrevista coletiva nesta quarta-feira.

Questionado sobre os Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento (CIDs) que a Prefeitura de São Paulo estuda dar ao Corinthians para construir sua arena, Pelé declarou: "Eu acho que tudo o que puder fazer para que tenhamos os estádios, tem que fazer. A maneira... que estamos fazendo, essa confusão, é que nos deixa triste."

"Essa briga de São Paulo é uma briga política", acrescentou.

O Corinthians rebateu as críticas sobre receber incentivo fiscal e informou na terça-feira que "isentar do ISS os serviços de construção foi um compromisso assumido pelas 12 cidades-sede perante a Fifa".

O estádio de São Paulo para a Copa, candidato a receber a abertura do torneio, é o que mais preocupa as autoridades. As obras de terraplanagem começaram em 30 de maio, mas a engenharia financeira para concluir o estádio para 65 mil pessoas ainda não foi finalizada. A capital paulista foi descartada pela Fifa para receber a Copa das Confederações de 2013, competição considerada um teste para o Mundial.

No final de maio, o governo federal reconheceu atrasos nas obras para o Mundial de 2014, pediu que os trabalhos e investimentos sejam acelerados e anunciou os modelos para as concessões de aeroportos, uma das preocupações da Fifa.

A presidente Dilma Rousseff anunciou ainda que coordenará uma reunião trimestral com um grupo de representantes das cidades-sede para tratar dos prazos das obras.   Continuação...

 
Pelé sorri em coletiva em Hong Kong, China, março de 2011. Pelé se mostrou preocupado quanto ao andamento das obras no Brasil para a Copa do Mundo de 2014. 07/03/2011 REUTERS/Tyrone Siu