Santos vence o Peñarol e é campeão da Libertadores

quinta-feira, 23 de junho de 2011 00:59 BRT
 

Por Tatiana Ramil

SÃO PAULO (Reuters) - O Santos é tricampeão da Copa Libertadores. Comandado pelo atacante Neymar, o time brasileiro derrotou o Peñarol por 2 x 1 na quarta-feira no estádio do Pacaembu e conquistou o título do principal torneio sul-americano após 48 anos.

O Santos havia sido campeão da Libertadores em 1962 e 1963 sob o comando de Pelé, que vibrou com a conquista do tricampeonato e participou da festa da equipe no gramado.

Neste ano, o destaque santista foi Neymar, de 19 anos, autor do primeiro gol da vitória que garantiu o troféu, depois do empate em 0 x 0 no primeiro jogo da final, no Uruguai. O outro gol foi marcado por Danilo, enquanto o zagueiro Durval (contra) fez o gol do Peñarol.

"É o dia mais feliz (da carreira), eu fiz história", disse Neymar ao final do jogo, enquanto alguns jogadores uruguaios se envolviam numa briga com os santistas após a partida. "Deixa esses caras pra lá, vamos comemorar."

O título do Santos, que dá direito a uma vaga no Mundial da Fifa no fim do ano, consagra os jovens Neymar e Paulo Henrique Ganso, os dois principais destaques do futebol brasileiro e maiores esperanças do Brasil na disputa da Copa América da Argentina, em julho.

É também uma vitória pessoal para o técnico Muricy Ramalho, que deixou o Fluminense e assumiu o Santos no final da fase de grupos da Libertadores, quando o clube paulista corria sério risco de ser eliminado. Muricy equilibrou mais a equipe em campo, com uma defesa forte, e conquista, assim, seu primeiro troféu de Libertadores, comemorado com uma volta no campo de mãos dadas com Pelé.

O Santos, que teve a volta de Ganso após um mês e meio afastado por causa de uma lesão muscular, começou o jogo no ataque. Logo aos 4 minutos, Elano cobrou falta e Durval, sozinho, cabeceou para fora. Cinco minutos depois, Elano chutou de fora da área e o goleiro Sosa pulou no canto para espalmar.

A partir daí, o time paulista diminuiu um pouco o ritmo. Os uruguaios se preocupavam mais em marcar e faziam tímidas aparições no ataque, sem ameaçar o goleiro Rafael.   Continuação...

 
Neymar comemora o gol marcado por ele que abriu o marcador na final da Copa Libertadores contra o Peñarol, do Uruguai. O Santos venceu por 2 x 1 em São Paulo e conquistou o tricampeonato. 22/06/2011 REUTERS/Rodolfo Buhrer