Decisão sobre abertura da Copa não pode ser só política--Agnello

quinta-feira, 14 de julho de 2011 16:06 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O governador do Distrito Federal, Agnello Queiroz, disse nesta quinta-feira esperar que a decisão sobre o estádio que receberá a partida de abertura da Copa do Mundo de 2014 seja "técnica, não só política".

"Eu acredito que a Fifa tem uma grande responsabilidade. Uma escolha dessas nunca vai ser uma escolha só política, tem que ter um conteúdo técnico importante de segurança", disse Agnello a jornalistas, após encontro com a presidente Dilma Rousseff.

A reação ocorre após anúncio de que o estádio do Corinthians, que sediará as partidas do Mundial em São Paulo, teve suas garantias financeiras aprovadas pelos organizadores -o último dos 12 estádios-sede a receber tal aprovação.

São Paulo, que esteve ameaçada de ficar fora da Copa depois que as garantias financeiras apresentadas para a reforma do Morumbi foram rejeitadas no ano passado, é a favorita do comitê organizador local para receber a abertura desde que a arena do Corinthians foi indicada pelo comitê paulista para abrigar os jogos da competição na cidade.

Brasília, no entanto, é uma das cidades-sede que disputam o direito de receber a partida inicial do torneio.

Agnello destacou características técnicas do estádio da capital federal, como oferta de estacionamento superior à exigida pela Fifa e infraestrutura hoteleira e de transporte, e que um terço das obras já está concluída.

A previsão para entrega do estádio é dezembro de 2012.

"O importante é dizer que nós estamos prontos para fazer o evento teste um ano antes, mostrar que (Brasília) tem condições ideais para fazer a abertura e poder fazer um ano depois com absoluta segurança o evento principal", disse Agnello.

A arena do Corinthians, estimada em 800 milhões de reais e que terá capacidade para 65 mil torcedores, não ficará pronta a tempo da Copa dos Confederações, em 2013, evento teste para a Copa.   Continuação...

 
Foto de 27 de maio da demolição de parte da arquibancada do estádio Mané Garrincha, em Brasília, que será totalmente refeito para a Copa do Mundo de 2014. REUTERS/Ueslei Marcelino