Estrelas finalmente começam a brilhar na Copa América

quinta-feira, 14 de julho de 2011 17:57 BRT
 

Por Rex Gowar

CÓRDOBA (Reuters) - Os grandes jogadores da Copa América, liderados por Lionel Messi, Neymar, Alexandre Pato e o chileno Alexis Sánchez, finalmente apareceram bem após 10 dias em que os técnicos foram os grandes nomes da competição.

Nas duas primeiras rodadas da primeira fase, foram poucos os gols marcados contra defesas bem organizadas. O único momento de "rebeldia ofensiva" aconteceu no empate de 2 x 2 de Brasil e Paraguai e na vitória de 2 x 1 do Chile sobre o México.

Treinadores costumam dizer que os grandes jogadores podem resolver uma partida num lance de inspiração, mas as táticas defensivas vinham conseguindo nivelar as partidas de forma inesperada, como no 1 x 1 de Bolívia com a Argentina e no 0 x 0 de Venezuela e Brasil.

O Brasil foi uma das grandes decepções nos dois primeiros jogos, sem conseguir brilhar apesar do trio de ataque Pato, Neymar e Robinho.

O capitão Lúcio precisou cobrar mais comprometimento da equipe depois que ficou ameaçada a classificação para as quartas de final da equipe que conquistou quatro títulos nas últimas cinco edições do torneio.

O técnico Mano Menezes, no entanto, defendeu que os problemas fossem resolvidos internamente. "Prefiro as conversas particulares, todos sabem disso", disse o treinador após a vitória de 4 x 2 contra o Equador, na quarta-feira, que classificou o Brasil em primeiro lugar do grupo. Agora, a seleção enfrentará o Paraguai, no domingo.

"Qualquer pessoa no futebol sabe que as conversas internas sempre dão resultados melhores... Sempre falamos internamente, porque sabemos que podemos melhorar. Contra o Equador isso ficou provado", acrescentou.

Apesar de demorarem a aparecer, Brasil e Argentina comprovaram que são os favoritos de sempre, enquanto o Chile se mostrou uma equipe com grande vocação ofensiva que levou milhares de torcedores a lotar os jogos da equipe em Mendonza e San Juan, próximas da fronteira chilena.   Continuação...

 
Alexandre Pato comemora com Neymar o gol marcado por ele que abriu caminho para a vitória de 4 x 2 do Brasil sobre o Equador na Copa América. 13/07/2011 REUTERS/Paulo Whitaker