Vanendert vence 14a etapa e Voeckler mantêm liderança do Tour

sábado, 16 de julho de 2011 16:36 BRT
 

PLATEAU DE BEILLE, FRANÇA (Reuters) - O francês Thomas Voeckler manteve a liderança geral no Tour de France no sábado, depois que uma antecipada batalha em Plateau de Beille se tornou um decepcionante torneio sem desafios para os favoritos.

O belga Kelle Vanendert levou vantagem no jogo de espera dos principais concorrentes nos Pirineus e levou a vitória na décima-quarta etapa de St. Gaudens, de 168.5 km. Ele ainda vingou o segundo lugar que levou quando perdeu a liderança da etapa de Luz-Ardiden, há dois dias, para o espanhol Samuel Sanchez.

No sábado, Sanchez terminou 21 segundos atrás do ciclista belga, do time Omega Pharma Lotto, que arrancou a 7 km da linha de chegada e se tornou o primeiro belga, desde Lucien Van Impe, há 30 anos, a vencer uma das principais etapas de montanha no Tour.

Andy Schleck, de Luxemburgo, arrancou no último trecho e conseguiu o terceiro lugar, 46 segundos mais lento que o vencedor, mas apenas dois segundos à frente de outros grandes nomes, que terminaram todos juntos.

"É uma pena. Isso me lembra de 2009, quando apenas Andy e eu tentamos. Dessa vez, éramos nós e (o italiano Ivan) Basso, e os outros olharam uns para os outros", resumiu o irmão de Andy, Frank, que manteve o segundo lugar na classificação geral, 1'49'' atrás de Voeckler.

"Não me surpreende o que o Voeckler está fazendo. Ele é um grande campeão, está em grande forma. E a camisa amarela dá uma motivação extra", acrescentou Frank.

Voeckler se destacou como o homem forte dos Pirineus e parece decidido a manter a camisa amarela pelo menos até os Alpes.

"Eu realmente não sei o que dizer. Estou muito surpreso. Eu cheguei ao meu limite, mas tive a impressão de que os outros também estavam no seu limite", disse o francês, cujo melhor resultado nas últimas nove edições do Tour foi ser o décimo-oitavo em 2004.

O ciclista de 32 anos nunca foi considerado um escalador puro, mas pareceu um dos mais cômodos na última subida, em um grupo que incluiu os irmão Schleck, o australiano Cadel Evans, Basso e o tricampeão do Tour Alberto Contador, da Espanha.

"Tinha a esperança de salvar minha camisa por apenas alguns segundos, mas eu certamente não esperava permanecer entre os favoritos", afirmou Voeckler.

(Por Julien Pretot)