22 de Julho de 2011 / às 21:18 / em 6 anos

Uruguai busca supremacia absoluta na Copa América

Por Rex Gowar

BUENOS AIRES (Reuters) - O Uruguai vai tentar conquistar seu 15o título da Copa América, desbancando os 14 da Argentina, na final de domingo contra o Paraguai justamente na capital de seu arquirrival, Buenos Aires, no estádio Monumental.

Os uruguaios ainda estão muito distantes do sucesso obtido por seus compatriotas que conquistaram duas Copas do Mundo e duas Olimpíada na primeira metade do século passado, mas, em uma atual era em que as táticas são muito mais refinadas, as recentes conquistas da equipe são louváveis.

Após eliminar a Argentina nas quartas de final, o Uruguai pode desbancar os vizinhos também no ranking dos maiores vencedores da Copa América.

“Acredito que estamos passando por um grande momento. Após um longo processo das eliminatórias, a Copa de 2010 e a Copa América, seria muito bom uma coroação com o título da Copa América”, disse o volante da seleção uruguaia Arevalo Rios, jogador do Botafogo.

“O esforço que fizemos contra a Argentina foi enorme, mas para esta final será dobrado.”

Os uruguaios, que ficaram em quarto lugar no Mundial do ano passado, descartam ser chamados de favoritos contra o Paraguai, que tentará conquistar apenas seu terceiro título da Copa América. A última conquista paraguaios foi em 1979, em Buenos Aires.

“Vários times começaram como favoritos e hoje estão fora. Não é uma questão de sermos favoritos, você precisa mostrar isso em campo”, disse Arevalo Rios.

“Ninguém começou bem, mas a partir do terceiro jogo (na fase de grupos) todo mundo começou a jogar melhor. Essa tem sido uma Copa América muito difícil.”

O Paraguai, que chegou à final com cinco empates em cinco jogos, entrará mais cansado na final após ter vencido seus dois últimos jogos nos pênaltis, contra Brasil e Venezuela, este último na quarta-feira.

O Uruguai venceu o Peru por 2 x 0 na semifinal de terça, com o atacante Luis Suárez marcando duas vezes para se juntar ao argentino Sergio Aguero na artilharia da competição, ambos com três gols.

“Ter um dia a mais de descanso é fundamental. Temos jogado muitas partidas e um dia extra é decisivo para a recuperação”, disse o atacante Diego Forlán, eleito o melhor jogador do Mundial de 2010 mas que ainda não balançou as redes na Argentina.

O Uruguai perdeu o atacante Edinson Cavani, componente-chave do ataque na Copa do Mundo, desde a segunda partida, mas poderá contar com seu retorno ao banco de reservas na decisão.

O Paraguai provavelmente não terá em campo o atacante Roque Santa Cruz e o lateral-esquerdo Aureliano Torres, ambos lesionados, além do meia Jonathan Santana, que está suspenso. No entanto, o zagueiro Antolin Alcaraz volta após cumprir suspensão.

Peru e Venezuela, que começaram o torneio desacreditados, vão disputar o terceiro lugar em La Plata, no sábado.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below