Paraguai irá comemorar título mesmo sem vitória, diz técnico

sábado, 23 de julho de 2011 13:06 BRT
 

Por Luis Ampuero

BUENOS AIRES (Reuters) - As comemorações do Paraguai caso vença a Copa América serão as mesmas ainda que se tornem a primeira seleção a erguer um troféu importante sem uma vitória sequer, disse o técnico Gerardo Martino na sexta-feira.

O time do argentino, que chegou à final após cinco empates, incluindo duas vitórias na disputa de pênaltis, enfrenta o favorito Uruguai na decisão de domingo no estádio do River Plate a partir das 16h (horário de Brasília).

"Só o que importa é sermos campeões. Vencer a Copa América é muito importante", afirmou Martino, que sofrerá uma suspensão de duas partidas já na final, em coletiva de imprensa.

"Todos os empates aconteceram do mesmo jeito, e se conseguirmos o resultado no domingo vou comemorar como fiz diante da Venezuela", disse ele sobre a vitória de 5 x 3 nas penalidades após um empate sem gols na semifinal de quarta-feira.

"Se alguém acha que não vemos nossos defeitos, não precisam nos lembrar quando jogamos mal, nós sabemos disso."

O Paraguai fez outro empate sem gols com o Equador na partida de estreia, depois teve igualdades de 2 x 2 com o Brasil e 3 x 3 com a Venezuela. Sua quarta de final contra os brasileiros foi outro empate em 0 x 0 que resolveu em 2 x 0 nos pênaltis.

Martino disse que se sua seleção conquistar a taça pela terceira vez, e primeira desde 1979, irá coroar um processo que ele iniciou em 2007, alcançando metas ao longo do caminho como os resultados nas classificatórias para a Copa do Mundo e sua melhor colocação de todos os tempos entre os oito melhores.

"Está claro que o Uruguai chegou à final indo de menos para mais, seu melhor desempenho foi contra o Peru (2 x 0 na semifinal). Estamos em um processo que é o exato oposto", declarou.

Ele disse lamentar sua suspensão, concedida após uma briga entre paraguaios e venezuelanos no final da partida desta semana.

"Lamento não estar no campo, não porque minha presença poderia ser mais ou menos importante, mas porque sinto que cometi mais um erro sério e é imperdoável para um técnico não estar com seus jogadores", disse Martino.