July 26, 2011 / 8:03 PM / 6 years ago

Pelé aceita convite de Dilma e será a cara da Copa de 2014

2 Min, DE LEITURA

Presidente Dilma Rousseff recebe Pelé, o novo embaixador da Copa do Mundo de 2014, no Palácio do Planalto. 26/07/2011Ueslei Marcelino

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff nomeou nesta terça-feira Pelé como embaixador honorário do Brasil para a Copa do Mundo de 2014.

"Eu não poderia deixar de aceitar esse convite da nossa presidenta. Como brasileiro, vocês sabem que eu já faço isso desde que eu nasci, desde a minha primeira Copa do Mundo que eu defendo e faço promoção do Brasil", disse Pelé a jornalistas após encontro com Dilma no Palácio do Planalto.

"É uma responsabilidade muito grande, mas eu não poderia deixar de aceitar," disse o ex-jogador, três vezes campeão do mundo com a seleção brasileira.

Pelé, que tem sido um dos críticos do ritmo da preparação do país para sediar o Mundial, pediu aos brasileiros que "acreditassem" no projeto do Brasil para receber a Copa.

"Estava meio confuso, meio em dúvida, alguns problemas que nós tivemos aqui... mas podemos acreditar, porque a presidenta disse que vai fazer todo o esforço para que a gente entregue bem esta Copa do Mundo", disse o ex-atleta.

Pelé criticou diversas vezes nos últimos meses os atrasos na preparação do país para o evento. O ex-jogador já disse que "assusta muito" a situação das obras para a Copa, e que o Brasil corria "um grande risco" de causar vergonha a ele, que se empenhou na campanha pelo torneio em solo brasileiro.

Segundo o ministro do Esporte, Orlando Silva, Dilma fez o convite a Pelé pela força da imagem do ex-atleta, considerado o maior jogador de futebol de todos os tempos.

"A presidente acredita que Pelé seria a melhor face da Copa do Mundo do Brasil em 2014", disse.

Na função, Pelé prestará orientações ao governo e representará o Brasil em eventos nacionais e internacionais, mas não terá qualquer função executiva, disse Silva.

Em tom de brincadeira, Pelé disse não temer a repetição da final da Copa de 1950, ano em que o Brasil sediou o torneio e foi derrotado pelo Uruguai, que conquistou a Copa América no domingo.

"Pelo contrário. Não temo, acho que devia ter a revanche para a gente ganhar."

Por Hugo Bachega

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below