Ministro vê aeroportos como "limite" do Brasil para Copa

sexta-feira, 29 de julho de 2011 19:27 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Os aeroportos são um dos limites que o Brasil têm e que precisam ser resolvidos na preparação para a Copa do Mundo de 2014, disse nesta sexta-feira o ministro do Esporte, Orlando Silva, após apresentar um balanço das ações do governo para o Mundial ao presidente da Fifa, Joseph Blatter.

Blatter, que está no Brasil com a cúpula da Fifa para o primeiro evento oficial da Copa do Mundo --o sorteio das eliminatórias, que acontecerá no sábado no Rio de Janeiro-- recuou esta semana das críticas feitas recentemente à preparação brasileira e disse que aposta na realização de um Mundial "excepcional".

Segundo o ministro, partiu dele a iniciativa de apresentar os aeroportos e os sistemas de transportes públicos como os maiores desafios do governo nos próximos anos, depois que a questão dos estádios foi resolvida com a equação financeira e o início das obras nas 12 arenas da competição.

"Informei ao presidente Blatter que eu tenho consciência dos limites que o país possui, das tarefas que o país terá que cumprir, e o esforço do governo é cumprir cada uma das tarefas pra melhorar a estrutura, melhorar os serviços, garantir os estádios e oferecer um país adequado à realização do Mundial", disse Silva a jornalistas.

"Nós precisamos aperfeiçoar os aeroportos. O Brasil é um continente e a circulação se dará sobretudo pelo sistema aeroportuário quando o Mundial acontecer. Nós acreditamos que é possível e necessário melhorar o transporte público, dois exemplos de tema que estão na agenda e serão enfrentados", acrescentou.

A decisão do governo de conceder à iniciativa privada os principais aeroportos do país para obras de ampliação e reforma foi elogiado por Blatter, segundo o ministro.

Ele acrescentou que o dirigente suíço mais uma vez fez elogios ao país, destacando principalmente a força da economia brasileira no cenário internacional como uma prova da capacidade do Brasil de organizar o torneio.

"Eu tenho insistido que na medida que a Fifa se aproxime mais do Brasil, acompanhe mais de perto a preparação, eles vão aumentar a confiança quanto ao sucesso da Copa de 2014", disse.

"É natural a preocupação deles, como é a natural a nossa preocupação de que tudo passe bem. A essa altura o que nós temos que fazer é trabalhar, não é comentar, mas é trabalhar", disse o ministro após o encontro, do qual também participaram o presidente do comitê organizador da Copa, Ricardo Teixeira, e o secretário-executivo da Fifa, Jêrome Valcke.

(Por Pedro Fonseca)

 
Ministro do Esporte, Orlando Silva, na cerimônia de abertura do sorteio das eliminatórias da Copa do Mundo de 2014, no Rio de Janeiro. 29/07/2011 REUTERS/Sergio Moraes