Americana de 61 anos tenta recorde na travessia a nado Cuba-EUA

segunda-feira, 8 de agosto de 2011 14:33 BRT
 

MIAMI (Reuters) - Em mar calmo, a norte-americana Diana Nyad, de 61 anos, se dirigia a nado nesta segunda-feira de Cuba a Key West, na Flórida, com a meta de estabelecer um novo recorde para a travessia de 166 quilômetros do estreito da Flórida.

Mais de 12 horas antes, aplaudida por admiradores, a veterana em natação de longas distâncias se lançou ao mar na Marina Hemingway, no litoral oeste da capital cubana, Havana, num momento em que o sol se punha num vermelho abrasador.

As 8h30 desta segunda-feira no leste dos EUA (9h30 em Brasília), a CNN informou que ela estava a cerca de 21 quilômetros da costa cubana, ainda na etapa inicial de uma extenuante jornada que deve durar cerca de 60 horas.

A transmissão ao vivo da CNN de um dos barcos que acompanham a nadadora mostrou Nyad avançando metodicamente em águas calmas, perto de um caiaque especialmente equipado, que transmite um campo elétrico para afastar tubarões.

Nas primeiras horas de segunda-feira, quando ela nadava em meio à escuridão, uma mensagem em seu Twitter dizia: "Está escuro, nublado, com uma lua enevoada."

Ela vai parar a cada hora para tomar líquidos e alimentos superenergéticos, sem sair da água. As normas para a tentativa de recorde em nado em oceanos a proíbem de tocar em qualquer barco que a acompanhe.

Criada no sul da Flórida e prestes a fazer 62 anos este mês, Nyad tentou a mesma travessia em 1978, quando estava com 28 anos, mas fracassou por causa dos ventos e das fortes ondas.

A mesma prova foi realizada com sucesso em maio de 1997 pela australiana Susan Maroney, aos 22 anos de idade.

Meteorologistas prevêem tempo calmo até quinta-feira nas águas que separam os EUA de Cuba, o que lhe dá uma boa chance.   Continuação...

 
Norte-americana Diana Nyad nada da Flórida para Havana.  Nyad, de 61 anos, se dirigia a nado nesta segunda-feira de Cuba a Key West, na Flórida, com a meta de estabelecer um novo recorde para a travessia de 166 quilômetros do estreito da Flórida. 07/08/2011 REUTERS/Enrique De La Osa