Mano minimiza resultados e destaca estilo de jogo da seleção

terça-feira, 9 de agosto de 2011 16:47 BRT
 

Por Brian Homewood

STUTTGART, Alemanha (Reuters) - O técnico Mano Menezes demonstrou tranquilidade com relação ao fracasso da seleção brasileira na Copa América do mês passado e disse nesta terça-feira, véspera do amistoso contra a Alemanha, que o momento ruim, em especial dos atacantes, vai passar.

Mano afirmou que não vai se deixar abater pela enxurrada de críticas após a surpreendente derrota do Brasil para o Paraguai nas quartas de final da competição realizada na Argentina, e garantiu que o time está no caminho certo apesar dos últimos resultados.

Ao contrário do antecessor Dunga, famoso por esbravejar contra os críticos, Mano respondeu com calma e clareza sobre o momento da seleção brasileira.

"É normal em qualquer lugar do mundo ter expectativas altas, e no nosso país é a mesma coisa", disse o treinador, sem demonstrar nenhum sinal de frustração.

"Se você não sabe conviver com isso, então não pode assumir uma responsabilidade como a seleção brasileira. Algumas vezes você sente que as pessoas não querem ouvir, não importa o que você diga, mas isso passa, nós sabemos que todos querem o melhor para o time", afirmou.

"O importante é não cair nesse redemoinho de opiniões. Somos bons o bastante para vencer qualquer adversário, nós sempre jogamos para vencer as partidas, e isso é o que nós vamos fazer."

O Brasil só venceu uma vez em quatro jogos na Copa América. A equipe derrotou o Equador e empatou com Venezuela e Paraguai na primeira fase e ficou num frustrante 0 x 0 com os paraguaios nas quartas de final, antes de ser eliminada na disputa de pênaltis ao desperdiçar suas quatro cobranças.

Em todos esses jogos, principalmente no confronto decisivo com o Paraguai, a seleção sofreu com a falta de pontaria dos atacantes, algo que Mano também está confiante numa mudança.   Continuação...

 
Técnico Mano Menezes comanda treino do Brasil em Stuttgart para amistoso contra a Alemanha, que acontece na quarta-feira. REUTERS/Alex Domanski