Jogadores espanhóis manterão greve por maior proteção salarial

quarta-feira, 17 de agosto de 2011 09:20 BRT
 

MADRI (Reuters) - As negociações entre a Liga de Futebol da Espanha (LFP) e o sindicato dos jogadores espanhóis (AFE) na quarta-feira não foram suficientes para evitar a greve prevista para este final de semana.

"Nós não chegamos a nenhum tipo de acordo", disse o presidente da LFP, José Luis Astiazarán, a repórteres depois do primeiro encontro entre os dois lados desde que a greve foi convocada na semana passada.

"O AFE está firme nisso. Há diferenças importantes mas nós teremos que continuar seguindo adiante", acrescentou.

O sindicato convocou a greve para os primeiros dois finais de semana das duas principais divisões do campeonato espanhol, previsto para começar no sábado, exigindo maior proteção para os salários dos jogadores em clubes que enfrentam questões financeiras.

"Estamos em acordo em 80 por cento das questões e é uma pena que por causa de 20 por cento nós estejamos nesta situação", continuou Astiazarán. "Conquistamos muito recentemente... entretanto, é impossível que a primeira rodada de jogos não seja afetada pela greve."

Luis Gil, representando o sindicado, disse que "nós iremos continuar trabalhando esta tarde e amanhã (quinta) e nos reuniremos novamente na sexta-feira".

"A liga não quer aproximar as diferenças. O maior problema é que os jogadores querem garantias de que serão pagos porque há mais de 200 que estão com salário devido."

Segundo ele, no momento, o AFE não considera estender a greve além da segunda rodada de jogos. "Nós queremos que a lei seja aplicada, que clubes que não pagam sejam punidos".

(Texto de Mark Elkington)