"Amistoso" no basquete entre China e EUA acaba em pancadaria

sexta-feira, 19 de agosto de 2011 11:54 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - Enquanto o vice-presidente americano Joe Biden tenta construir uma base de confiança com a China nos corredores do poder de Pequim, a boa vontade entre as duas nações foi revelada na noite de quinta-feira em uma quadra vizinha de basquete, onde os jogadores trocaram chutes e socos e até uma cadeira foi atirada.

Um jogo "amistoso" entre o Georgetown Hoyas de Washington e o Bayi Military Rockets chinês se transformou em pancadaria no estádio olímpico de Pequim. Não ficou claro quem começou a briga.

Os jogadores trocaram socos, alguém na plateia atirou uma cadeira, e os torcedores lançaram garrafas cheias de água nos jogadores e nos técnicos do Hoyas enquanto eles seguiam para o vestiário, cancelando o restante do jogo.

Na China a mídia estatal não divulgou o incidente e microblogs mantiveram silêncio na maior parte, já que os censores rapidamente apagaram quaisquer referências à briga.

"Mesmo a notícia sobre a luta entre as equipes de basquete chinesa e americana precisa ser censurada", disse um microblogger chamado Yinnu.

A briga ocorreu um dia depois de Biden, que está em Pequim em uma visita de quatro dias para discutir as relações econômicas entre Estados Unidos e China, assistiu a um jogo da Georgetown contra outro clube chinês. Aquele jogo, vencido pela equipe americana, acabou sem socos.

Os jogos fazem parte de um "Jogo Amistoso de Basquete China-EUA" em Pequim, segundo o Washington Post. Os Hoyas estavam em uma viagem de 10 dias à China, incluindo outros jogos marcados em Xangai.

O vice-ministro das Relações Exteriores chinês Cui Tiankai disse a repórteres em uma coletiva que a briga foi um "incidente pequeno".

Cui afirmou que o time chinês havia acompanhado os americanos até o aeroporto, acrescentando que "estamos felizes em ver isso" e que as duas equipes haviam trocado lembranças.   Continuação...