Zico fecha acordo para ser técnico do Iraque

segunda-feira, 22 de agosto de 2011 18:54 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O ex-jogador Zico disse nesta segunda-feira que acertou com a federação iraquiana de futebol para ser o novo técnico da seleção do Iraque e que agora falta apenas assinar o contrato.

"Está tudo certo. Eu e meus advogados enviamos a minuta do contrato para lá. Da minha parte está tudo ok. Só falta assinar o contrato", afirmou Zico à Reuters, por telefone, nesta segunda-feira.

As negociações começaram na semana passada e se intensificaram no último final de semana. Segundo Zico, a minuta encaminhada à federação iraquiana prevê duas possibilidades: uma delas é que ele dirija a seleção do Iraque nas eliminatórias da Copa do Mundo e da Copa da Ásia e a outra é que o contrato se estenda até o Mundial de 2014 disputado no Brasil.

"Eles estão pensando num projeto mais longo e acho que a tendência é que seja até 2014", disse Zico, que comandou a seleção japonesa na Copa do Mundo de 2006.

Representantes do futebol iraquiano disseram este mês estar determinados a contratar Zico para comandar a seleção nas eliminatórias do Mundial. O Iraque está no Grupo A, com Jordânia, China e Cingapura.

O ex-jogador da seleção brasileira afirmou que está motivado com a nova oportunidade e não demonstrou receio com a violência no país, alvo constante de atentados. A previsão é que os jogos da seleção aconteçam longe das áreas de conflito, segundo ele.

"É o grande desafio da minha carreira. Quero superar tudo (violência) com muito trabalho e motivação", declarou.

Zico disse que inicialmente a comissão técnica será formada por seu irmão, Edu, e o preparador físico Moraci Sant'anna. "Por enquanto somos nós três. Mas chegando lá é que eu vou poder conhecer o material humano e ver se há necessidade de levar mais gente", afirmou ele, que não revelou as bases financeiras do acordo.   Continuação...

 
Zico participa do sorteio das eliminatórias da Copa do Mundo de 2014 no Rio de Janeiro. 30/07/2011 REUTERS/Ricardo Moraes