Jogadores italianos devem fazer greve após fracasso de acordo

quinta-feira, 25 de agosto de 2011 17:53 BRT
 

ROMA (Reuters) - A Itália parecia estar quase certa de enfrentar uma greve dos jogadores depois que as negociações de quinta-feira fracassaram em produzir um acordo entre os jogadores e a liga, 48 horas antes do início da temporada do Campeonato Italiano.

O presidente da Liga Italiana, Maurizio Beretta, disse que a liga, que representa os 20 melhores clubes, havia rejeitado a última proposta da Associação Italiana de Futebol, que tinha como objetivo encerrar a disputa envolvendo a assinatura de um acordo coletivo sobre os direitos dos jogadores.

"A proposta... não faz a Liga Italiana mudar sua posição, esperamos que o Sindicato Italiano dos Jogadores (AIC) cancela a greve e aceita nossa proposta integralmente", disse Beretta em comunicado no site da liga.

O AIC já disse que não haveria jogos se um novo acordo não fosse assinado e seu presidente Damiano Tommassi reiterou sua posição.

"Dissemos isso há alguns dias e diremos novamente hoje: sem a assinatura de nosso contrato coletivo, os jogadores não entrarão em campo no sábado e no domingo", disse ele à agência de notícias Ansa.

"Agora estamos esperando pela decisão do (presidente da Federação Italiana de Futebol, Giancarlo) Abete."

Não houve indícios de quando ou se a greve seria declarada oficialmente, ou quais seriam as próximas medidas.

O Comitê Olímpico Italiano (CONI) criticou duramente a disputa.

"O CONI condena o tom amargo que tem caracterizado essa questão inteira e expressa seu profundo ressentimento diante do desenvolvimento de uma situação que está se tornando incompreensível e insustentável", disse o comunicado.

A proposta da associação era de criar um fundo especial para garantir que os clubes não teriam de pagar uma nova taxa de austeridade iniciada pelo governo.

 
Damiano Tommasi, presidente do sindicato dos jogadores italianos, concede entrevista coletiva na sede da Federação Italiana de Futebol. 24/08/2011 REUTERS/Remo Casilli