Trabalhadores de obras do Maracanã fazem nova greve

quinta-feira, 1 de setembro de 2011 13:20 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Pela segunda vez em menos de um mês, os operários da reforma do Maracanã decidiram fazer uma greve. A nova paralisação, que começou nesta quinta-feira, foi decidida porque itens do acordo firmado recentemente com o consórcio que administra as obras não estão sendo cumpridos, segundo os trabalhadores.

"Tínhamos a promessa de um aumento na nossa cesta básica e não recebemos até agora. É importante também para a categoria a inclusão de parentes no plano de saúde", disse o diretor do Sindicato da Construção Pesada do Rio, Luiz Fonseca.

No mês de agosto, os operários do Maracanã fizeram uma greve de cinco dias depois de um acidente com um trabalhador no canteiro de obras. Na época, a categoria aproveitou para reivindicar melhores condições de trabalho e segurança, além do pagamento de plano de saúde e aumento no valor da cesta básica.

O consórcio responsável pela obra do Maracanã argumenta, por sua vez, que todos os canais de negociação com o sindicato já foram esgotados e ameaça levar a discussão à Justiça do Trabalho.

"O consórcio entende que não há motivo para a atual paralisação e informa que vai buscar imediatamente a Justiça do Trabalho para que o movimento seja declarado abusivo e haja retorno ao trabalho", disse em nota oficial o consórcio formado pelas construtoras Odebrecht, Delta, e Andrade Gutierrez.

Atualmente, cerca de 2 mil operários trabalham nas obras de modernização do estádio para a Copa das Confederações de 2013 e da Copa do Mundo de 2014.

O valor da obra foi reduzido em 72 milhões de reais na quarta-feira por determinação do Tribunal de Contas de União, que questionou os valores de alguns serviços, equipamentos e materiais da obra. Com isso, a obra deve custar perto de 860 milhões de reais.

A previsão é que o estádio esteja pronto em dezembro de 2012.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

 
Obras do estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, em foto tirada em julho.  Pela segunda vez em menos de um mês, os operários da reforma do Maracanã decidiram fazer uma greve. A nova paralisação, que começou nesta quinta-feira, foi decidida porque itens do acordo firmado recentemente com o consórcio que administra as obras não estão sendo cumpridos, segundo os trabalhadores.
27/07/2011  REUTERS/Ricardo Moraes