Regras não irão mudar, diz chefe da federação de atletismo

sábado, 3 de setembro de 2011 17:21 BRT
 

Por Ossian Shine

DAEGU, Coreia do Sul (Reuters) - Lamine Diack, chefe da federação internacional de atletismo, manteve a linha dura neste sábado, dizendo à Reuters que não haverá mudanças ou concessões nas regras para evitar que grandes nomes sejam desclassificados.

"Sem chance", disse o presidente da Associação Internacional da Federação de Atletismo (Iaaf, na sigla em inglês) em entrevista durante o Campeonato Mundial em Daegu.

O início do campeonato foi manchado pela desclassificação de dois dos maiores nomes do esporte por questões técnicas, privando fãs e veículos de divulgação da chance de ver os grandes competidores nas provas mais importantes.

Usain Bolt, o homem mais rápido do mundo, foi eliminado da final dos 100 metros por queimar a largada. Sob a regra da IAAF, um incidente do tipo já leva à eliminação.

Um dia antes, o cubano Dayron Robles passou pelo drama de ter sua medalha de ouro nos 110m com barreiras retirada por ter colidido com o chinês Liu Xiang na pista.

Regras são regras, sublinhou Diack, e estas são boas. Ele disse que o maior acontecimento do campeonato até o momento foi a desclassificação de Bolt, mas que não viu nada que o persuadisse da necessidade de mudar o regulamento.

"Não esperava que Bolt fosse desclassificado por queimar a largada", riu ele quando indagado o que mais o havia surpreendido na competição. "(Mas) trabalho por esta regra. Gosto muito dela, votei por ela."

"(No passado) todos os atletas tinham a possibilidade de ter uma (largada queimada), então você podia ter oito (largadas)", disse.   Continuação...

 
O chefe da Associação Internacional da Federação de Atletismo (IAAF) Lamine Diack em coletiva de imprensa em Doha, em maio. 
Diack manteve a linha dura neste sábado, dizendo à Reuters que não haverá mudanças ou concessões nas regras para evitar que grandes nomes sejam desclassificados.
Foto de Arquivo REUTERS/Fadi Al-Assaad