Rússia deve usar 13 arenas para a Copa do Mundo de 2018

domingo, 11 de setembro de 2011 17:31 BRT
 

Por Gennady Fyodorov

MOSCOU (Reuters) - O ministro dos Esportes russo, Vitaly Mutko, que é também o responsável pelo comitê organizador da Copa do Mundo de 2018, quer minimizar o número de estádios que vão receber o torneio e acredita que 13 pode ser o número certo.

A Rússia, que venceu a Inglaterra e as candidaturas conjuntas de Espanha/Portugal e Bélgica/Holanda em dezembro passado para ter o direito de receber a festa do futebol pela primeira vez, tinha proposto originalmente 16 estádios em 13 cidades diferentes.

A Fifa, entidade que controla o futebol, considera 12 locais como o melhor número para o torneio de 32 times.

"Doze é um número mais prático porque conforme você adiciona mais cidades, maiores ficam os custos de receber o torneio", disse Mutko, que também é membro do comitê executivo da Fifa, aos repórteres.

"Nós ainda não tomamos a decisão final e, na teoria, todas as 16 localizações (originais) ainda têm a chance de serem escolhidas. Mas, no final, não vamos ter mais do que 13 estádios."

Mutko disse também que o estádio olímpico Luzhniki em Moscou com 84 mil lugares deve receber a final da Copa do Mundo e uma das semifinais, com São Petersburgo recebendo a outra semi.

"Apenas Moscou tem três estádios diferentes, mais outro logo na saída da cidade", ele disse à Reuters em um fórum internacional de esportes. "Eu acho que é demais. Nós não devemos ter mais do que dois estádios da Copa do Mundo em Moscou."

A segunda arena em Moscou deve provavelmente ser escolhida entre os dois estádios que estão sendo construídos pelos times da primeira divisão do Campeonato Russo, Spartak e Dynamo, disse Mutko.   Continuação...