Djokovic é favorito na final do Aberto dos EUA contra Nadal

domingo, 11 de setembro de 2011 19:06 BRT
 

Por Julian Linden

NOVA YORK (Reuters) - Rafael Nadal e Novak Djokovic irão se encontrar na final do Aberto dos EUA na segunda-feira pelo segundo ano seguido, mas as coisas não poderiam estar mais diferentes do que 12 meses atrás.

Em 2010, Nadal estava quase imbatível, um jogador no pico de suas capacidades. O espanhol já tinha vencido o Aberto da França e Winbledon e chegou à final de Flushing Meadows sem perder um set sequer.

Mas Djokovic estava lutando. O sérvio não jogava uma final de Grand Slam desde sua única conquista deste tipo de torneio até então, o Aberto da Austrália de 2008 e surgiram questões sobre seu estado mental depois de ele ter ganhado fama por desistir de partidas.

O resultado foi uma conclusão precipitada. Djokovic jogou bem e venceu um set, mas Nadal foi melhor e não só venceu a partida como se tornou o sétimo jogador a vencer os quatro Grand Slams com seu nono no geral.

Imediatamente foi comentado se ele poderia superar o recorde de Roger Federer de 16 títulos de Grand Slam e se tornar talvez o maior jogador de todos os tempos.

Mas agora, os jogadores trocaram de posição e Djokovic é indiscutivelmente o número um e Nadal luta para encontrar seu melhor jogo.

A final do ano passado provou ser um ponto de virada para Djokovic e ele começou esta temporada com determinação renovada. Ele venceu o Aberto da Austrália em janeiro e, para provar não ser um tenista de um só título, venceu Wimbledon em julho, batendo Nadal na decisão.

Aquela foi a quinta vez que ele bateu Nadal em finais disputadas em 2011, após triunfos em Indian Wells e Miami, depois em Madri e Roma, no saibro, piso predileto do espanhol.

Nadal conseguiu vencer o Aberto da França, onde Djokovic foi eliminado por Federer na semifinal, mas as derrotas para Djokovic afetaram sua confiança.

"Ele obviamente é o favorito para a final", disse Nadal após vencer Andy Murray nas semifinais. "Eu sei que tenho que fazer algo melhor do que nas outras partidas para tentar mudar a situação."