Governo afrouxa prazo para garantir obras de mobilidade da Copa

quarta-feira, 14 de setembro de 2011 14:33 BRT
 

Por Hugo Bachega

BRASÍLIA (Reuters) - O governo federal afrouxou o prazo para as cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 licitarem seus projetos de mobilidade urbana para garantir que as obras não sejam excluídas do pacote de recursos destinados ao Mundial.

Antes, os projetos precisavam estar licitados até o final deste ano e serem concluídos até dezembro de 2013. Agora, o governo admite aceitar atraso nas licitações, contanto que as obras estejam prontas para o Mundial.

"Nós colocamos essa data de dezembro como referência importante, (mas) tem várias obras que não é necessário iniciar em dezembro, que o tempo de obra é curto. Então, não é necessário que a licitação precise ficar pronta em dezembro", disse a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, durante balanço dos trabalhos para a Copa.

Apesar da mudança no prazo, o governo disse acreditar que as obras não licitadas ainda neste ano, por serem de curta duração, estarão prontas à tempo do Mundial.

O governo vê as obras de mobilidade como um dos principais legados do torneio, mas apenas em cinco das 12 cidades-sede as intervenções já foram iniciadas. Os 49 projetos somam 12,1 bilhões de reais.

"Mobilidade urbana é um assunto que nos deixa em estado de alerta, é necessário muita atenção, muita concentração por parte das cidades", disse o ministro do Esporte, Orlando Silva.

Em Salvador, por exemplo, o projeto inicial foi colocado em revisão após o governo local alterar o modal de transporte a ser utilizado -- passou a reivindicar investimento em linha metroviária no lugar do antigo projeto de BRT (linha expressa de ônibus).

Já no caso de São Paulo, a nova linha de monotrilho só deverá estar concluída em maio de 2014, um mês antes do evento. Também em Manaus, a previsão é que as obras estejam prontas meses antes do torneio.   Continuação...