Fifa rejeita recurso de Bin Hammam contra exclusão

quinta-feira, 15 de setembro de 2011 18:36 BRT
 

Por Brian Homewood

BERNA (Reuters) - O ex-candidato à presidência da Fifa Mohamed Bin Hammam teve seu recurso negado contra a exclusão definitiva da Fifa por sua participação num escândalo de compra de votos, uma das mais recentes controvérsias a atingir o futebol internacional.

"O recurso apresentado por Mohamed Bin Hammam foi rejeitado e a decisão do comitê de ética da Fifa está confirmada", disse a Fifa em comunicado nesta quinta-feira.

"A punição de ser excluído de qualquer atividade relacionada ao futebol (administração, esportes ou qualquer outra) em nível nacional e internacional por toda vida está mantida."

Bin Hammam, ex-presidente da Confederação Asiática de Futebol (AFC) e ex-membro do comitê-executivo da Fifa, confirmou através de seu advogado Eugene Gulland que vai apresentar um recurso à Corta Arbitral do Esporte (CAS).

Gulland disse que o dirigente, que é do Catar, também vai contestar a decisão de designar Zhang Jilong como presidente interino da AFC e membro do comitê-executivo da Fifa.

Bin Hammam era o único adversário de Joseph Blatter pela presidência da Fifa este ano, mas retirou sua candidatura após a denúncia de um escândalo de compra de votos de dirigentes do Caribe. Blatter acabou sendo eleito para um quarto mandato consecutivo à frente da Fifa.

Bin Hammam foi suspenso em julho pelo comitê de ética da Fifa, após ter sido considerado culpado de infringir sete artigos do código de ética da federação, incluindo um sobre suborno.