21 de Setembro de 2011 / às 23:24 / 6 anos atrás

Após distúrbios, Grã-Bretanha quer melhorar imagem com Olimpíada

LONDRES (Reuters) - A Grã-Bretanha vai lançar um plano de promoção empresarial e turística tendo como centro a Olimpíada de 2012, a fim de reverter a imagem negativa transmitida para o mundo por causa dos distúrbios do mês passado, disse um ministro na quarta-feira.

O objetivo da campanha, chamada Great, é atrair 1 bilhão de libras adicionais em investimento e comércio nos próximos 12 meses, impulsionando uma economia que praticamente não cresceu ao longo do último ano.

“Não se trata de relançar a marca Grã-Bretanha, temos uma das marcas mais fortes do mundo”, disse a jornalistas Jeremy Hunt, secretário de Estado da Cultura, Mídia e Esportes.

“Trata-se de usar essa marca para criar mais exportações, mais investimentos, mais comércio, mais turistas estrangeiros, e também para assegurar que podemos esclarecer as coisas depois de alguns terríveis eventos ocorridos neste verão (boreal), os quais criaram uma imagem negativa.”

Em inglês, o país costuma ser chamado apenas de “Britain”, em vez de “Great Britain”. “A ideia de devolver o ‘Great’ à ‘Britain’ é algo que já está por aí há muito tempo, mas achamos que o momento de usá-lo é no ano que vem”, afirmou o ministro.

Mas um economista disse que a meta da campanha é modesta demais. “Quando o PIB está na casa dos trilhões, 1 bilhão não é grande coisa”, disse Scott Corfe, do Centro para a Pesquisa Econômica e Empresarial.

Em 2009, empresas estrangeiras investiram 46 bilhões de libras no Reino Unido, uma redução de 3,2 bilhões em relação ao ano anterior, e o menor fluxo de investimentos externos para o país desde 2004, segundo cifras do governo.

O governo diz que a maior parte do bilhão de libras pretendido virá das exportações. Esse valor ajudará a cobrir parte das 9,3 bilhões de libras que foram gastas para a realização da Olimpíada do ano que vem em Londres.

Como parte da iniciativa, uma conferência global sobre investimentos será realizada em Londres às vésperas da Olimpíada, e o governo criará uma “embaixada empresarial” para promover as inovações, a criatividade e o empreendedorismo do país.

Os políticos também esperam que a Olimpíada e as celebrações dos 60 anos do reinado de Elizabeth 2a, no ano que vem, fortaleçam o turismo, atraindo 4 milhões de visitantes adicionais. Eles estimam que a publicidade gratuita para o país será de mais 1 bilhão de libras.

“Estamos determinados a aproveitar ao máximo esta oportunidade sem precedentes para assegurarmos um legado econômico duradouro, que beneficie o país inteiro”, disse o primeiro-ministro David Cameron em Nova York, onde participa da sessão anual da Assembleia Geral da ONU.

Distúrbios ocorridos recentemente em Londres e outras cidades causaram grandes prejuízos para o país e foram atribuídos por alguns a uma reação popular contra medidas de austeridade implantadas pelo governo. Hunt disse que os incidentes não provocaram um impacto perceptível no turismo.

Reportagem de Avril Ormsby

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below