Embaixadora das Olimpíadas Especiais quer mudar cenário na China

sábado, 24 de setembro de 2011 13:46 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - Um setor muitas vezes rejeitado da sociedade chinesa está recebendo impulso filantrópico de uma das personalidades mais conhecidas da China, enquanto as doações de caridade no país passam por um período difícil.

Yang Lan, personalidade popular da TV chinesa, empresária e filantropa, tornou-se neste sábado embaixador das Olimpíadas Especiais, que reúne pessoas portadoras de deficiências.

Com isso, Yang espera promover uma maior inclusão na sociedade chinesa dos deficientes intelectuais.

Ela contou sobre um encontro de voluntários das Olimpíadas Especiais vindos de cinco universidades de Pequim, para promover a diversidade e inclusão "pois pessoas com deficiência podem ser mais ativas e visíveis na sociedade chinesa e no mundo."

Mais cedo, Yang prometeu pressionar por reformas e regulamentações sobre instituições de caridade para deixá-las mais aceitáveis aos olhos do, às vezes cético, público chinês.

"Hoje estamos cumprindo regras estabelecidas na década de 1980, no século passado," disse Yang em entrevista à Reuters.

"Um monte de coisas realmente não se relacionam com a situação atual. Então, como figura pública, eu quero defender a regulação rápida da filantropia na China."

A nomeação de Yang acontece no momento em que a filantropia na China encontra dificuldades por conta da insatisfação pública com a falta de transparência.

(Por Redação Pequim)