September 26, 2011 / 1:14 PM / 6 years ago

Chefe da McLaren sai em defesa de criticado Hamilton

3 Min, DE LEITURA

Por Ossian Shine

CINGAPURA (Reuters) - O chefe da McLaren, Martin Whitmarsh, deu uma proteção paternal ao criticado Lewis Hamilton depois do Grande Prêmio de Cingapura, no domingo, quando o estilo agressivo do piloto britânico gerou ainda mais polêmica.

Hamilton guiou de forma soberba por vários momentos para terminar a corrida noturna no circuito de rua na quinta posição, mas novamente sua performance foi ofuscada por um incidente com Felipe Massa, da Ferrari.

O brasileiro, que já tinha batido com o campeão mundial de 2008 nesta temporada, disse que Hamilton destruiu sua corrida.

O piloto da McLaren quebrou a Ferrari de Massa ao tentar ultrapassá-lo no início da corrida, e Hamilton recebeu uma penalização de passar pelos boxes por ter causado a colisão.

Massa, claramente irritado, reclamou bastante do britânico e pediu que o órgão regulador do esporte interviesse porque Hamilton estava dirigindo perigosamente e não estava pensando nas consequências dentro da pista.

Enquanto Hamilton se recusou a ser levado para uma guerra de palavras e recuou para o motorhome da sua equipe, Whitmarsh saiu em sua defesa.

"A verdade é que existem muitas pessoas que já falaram comigo que têm uma visão diferente", disse Whitmarsh sobre o acidente.

"Eu acho que você tem que assumir algum risco em ultrapassagens. E ele (Hamilton) é um piloto que quer ultrapassar rápido. Agora, após o ocorrido, ele vai se arrepender e gostaria de ter esperado por mais três curvas ou qualquer outra coisa."

"O fato é, aconteceu. Foi certo ou errado. Depois disso ele fez uma corrida impecável, e ele não deveria ter sofrido a punição ou ter quebrado sua asa dianteira."

"Ele não deveria ter perdido posições no início. No esporte e na vida as coisas vão bem e vão mal para você, e eu acho que dessa vez foram mal."

Hamilton, que repetidamente já defendeu seu estilo agressivo ao mesmo tempo em que faz visitas regulares aos comissários de provas, e Massa estão às turras desde o Grande Prêmio de Mônaco em maio.

Os dois bateram na corrida e Massa foi obrigado a abandonar.

O brasileiro, que perdeu para Hamilton por apenas um ponto no campeonato de 2008, solicitou à FIA após a corrida de Cingapura para ensinar o britânico uma lição "ou ele não vai aprender".

Whitmarsh, porém, salientou que o que parece ser uma disputa recorrente, não era nada pessoal.

"Eles já foram amigos e já foram inimigos. Você sabe que é entre os pilotos", disse ele, acrescentando que Hamilton tinha total apoio da equipe.

O campeonato de pilotos foi praticamente decidido em Cingapura, com o vencedor da corrida, Sebastian Vettel, a apenas um ponto de conquistar o bicampeonato mundial, com cinco corridas restando para o fim da temporada.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below