Jogadores alemães estavam dopados na Copa de 1966, diz revista

quarta-feira, 5 de outubro de 2011 18:17 BRT
 

BERLIM (Reuters) - Três jogadores da seleção da Alemanha Ocidental apresentaram teste positivo para o estimulante proibido efedrina durante a Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra, segundo um documento obtido pela revista alemã Der Spiegel.

Uma carta recentemente descoberta do então diretor médico da Fifa Mihailo Andrejevic diz que três jogadores anônimos do time alemão que perdeu a final para Inglaterra haviam sido pegos no exame antidoping.

Escrevendo ao chefe de esportes da Alemanha, Max Danz, em 29 de novembro de 1966, meses depois da final que a Inglaterra venceu por 4 x 2, Andrejevic teria informado que exames de doping de três jogadores alemães realizados durante o torneio deram positivo para efedrina, substância que também se encontra em medicamentos contra sintomas de gripe.

Não está claro se os atletas consumiram efedrina de propósito ou através de algum outro medicamento contra a gripe disponível naquele tempo, quando o controle de doping estava ainda engatinhando.

Autoridades da Fifa que foram contatadas nesta quarta-feira pela Reuters disseram que não conheciam a existência da carta e que investigariam o tema.

(Reportagem de Karolos Grohmann)