Pai de Rooney é preso por suspeita de fraude em apostas--fontes

quinta-feira, 6 de outubro de 2011 14:13 BRT
 

Por Mike Collett

LONDRES (Reuters) - O pai e o tio do atacante do Manchester United e da Inglaterra Wayne Rooney estão entre nove homens detidos na quinta-feira como parte de um inquérito sobre uma suposta fraude cometida por apostadores, disseram à Reuters fontes próximas ao ocorrido.

Wayne Rooney pai, de 48 anos, seu irmão e mais duas pessoas foram soltas posteriormente após o pagamento de fiança.

A polícia inglesa disse em comunicado que nove homens foram presos, após uma nota anterior da Associação Escocesa de Futebol confirmando que um dos homens era o meia de 26 anos Steven Jennings, do Motherwell, que era de Liverpool e agora vive em Glasgow.

As acusações dizem respeito a suspeitas de apostas no jogo do Campeonato Escocês entre Motherwell e Heart of Midlothian, em dezembro passado.

Rooney pai foi detido em sua casa em West Derby, em Liverpool, após uma investigação conjunta da polícia de Merseyside trabalhando em cooperação com a Comissão de Apostas, segundo fontes. O tio de Rooney Richie, de 54 anos, também foi detido, acrescentaram as fontes.

"Os detetives executaram hoje mandados em 10 endereços em Merseyside (região de Liverpool) e Glasgow e prendeu nove homens, como parte de uma investigação sobre a atividade de apostas suspeitas", disse a polícia de Merseyside em comunicado.

"As detenções são o culminar de uma operação conjunta com a Comissão de Apostas e os nove que foram presos por conspiração para fraudar estão sendo interrogados pelos detetives."

"Os detidos são um homem de 29 anos de idade de Bootle, um homem de 48 anos de West Derby, um homem de 54 anos de Norris Green, um homem de 26 anos de Croxteth, um homem de 22 anos de Kirkdale , um homem de 31 anos de Litherland, um homem de 68 anos de Fazakerley, um homem de 36 anos de Kirby e um homem de 26 anos de Glasgow", acrescentou a polícia.   Continuação...

 
Foto de arquivo de Wayne Rooney Senior, pai do atacante do Manchester United Wayne Rooney, chegando ao Centro de Justiça Civil de Manchester, norte da Inglaterra, em fevereiro de 2010 REUTERS/Darren Staples/Files