Pan do México começa na sexta-feira sob forte segurança

terça-feira, 11 de outubro de 2011 19:54 BRT
 

Por Rachel Uranga e Carlos Calvo

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - A 16a edição dos Jogos Pan-Americanos começa na sexta-feira em Guadalajara, sob fortes medidas de segurança devido à onda de violência que assola o México. A expectativa é de que os atletas dos Estados Unidos, Cuba, México e Brasil dominem as competições.

Cerca de 11 mil policiais federais, estaduais e locais farão a segurança do evento, com apoio de aviões teleguiados e helicópteros Blackhawk. Mais de 44 mil pessoas já morreram no México nos últimos cinco anos devido à violência relacionada ao tráfico de drogas.

"Não detectamos nenhuma ameaça. Os três níveis de governo estão totalmente coordenados, e a segurança está garantida em 100 por cento", disse à Reuters José Ramón Salinas, porta-voz da polícia federal mexicana.

Guadalajara, capital do Estado de Jalisco, não está entre os piores focos da violência, mas é uma região sob o controle do poderoso cartel de Sinaloa, do traficante Joaquín "el Chapo" Guzmán.

Além da mobilização policial, as autoridades instalaram um centro de comando para monitorar as 650 câmeras de TV colocadas em estádios e outras instalações.

Os 6.003 atletas, representando 42 países em 36 modalidades, já começaram a se instalar na Vila Pan-Americana, num momento em que a costa de Jalisco está ameaçada pela aproximação do furacão Jova, que pode provocar chuvas torrenciais. Os organizadores disseram, no entanto, que o cronograma da abertura será mantido.

Estados Unidos, Cuba, Brasil, México e Canadá aparecem como as nações que devem liderar o quadro de medalhas, como já aconteceu nas edições de Santo Domingo-2003 e Rio-2007.

Entre as principais atrações estão a saltadora mexicana Paola Espinosa, bronze na Olimpíada de Pequim-08; o velocista cubano Dayron Robles, recordista mundial dos 110 metros com barreiras; e a esgrimista norte-americana Mariel Zagunis, campeã olímpica em Atenas-04 e Pequim-08.

"Serão grandes Jogos, não quero dizer que serão os melhores da história, mas tomara que eu possa dizer isso no encerramento. Os Jogos são dos atletas, mas a responsabilidade de organizá-los é nossa", disse o mexicano Mario Vázquez Raña, presidente da Organização Desportiva Pan-Americana (Odepa).

(Reportagem adicional de Henry Romero)