Londres vai punir abusos publicitários descarados na Olimpíada

sexta-feira, 14 de outubro de 2011 15:52 BRT
 

Por Keith Weir

LONDRES (Reuters) - Pessoas que tentarem fazer publicidade de marcas durante a Olimpíada de Londres em 2012 usando seus próprios corpos para isso enfrentarão multas pesadas. É o que prevêem leis aprovadas para proteger os patrocinadores oficiais dos Jogos.

Pelas leis que devem ser aprovadas pelos parlamentares, as restrições ao chamado "marketing de emboscada" vão valer não apenas nos locais olímpicos principais, mas também em marcos de turismo como o Big Ben, a sede do Parlamento e a Abadia de Westminster.

Os Jogos Olímpicos contam com um grupo principal de patrocinadores com contratos de longo prazo, enquanto outras empresas patrocinam apenas Jogos Olímpicos individuais. Londres quer levantar cerca de 700 milhões de libras de patrocinadores domésticos em 2012.

Esses contratos lucrativos correm o risco de ser desvalorizados por truques publicitários com os quais empresas conseguem ganhar exposição a um público televisivo de bilhões de pessoas.

O Departamento de Cultura, Mídia e Esporte disse que o governo britânico pretende "proibir a publicidade no corpo humano". A infração das regras pode resultar em multas de até 20 mil libras.

Em 2004 um indivíduo invadiu um evento de saltos ornamentais da Olimpíadas de Atenas com o nome de uma empresa pintado sobre o peito nu.

Os organizadores das Olimpíadas vêm tentando reprimir a publicidade não autorizada desde os Jogos de 1996 em Atlanta, quando a empresa de roupas esportivas Nike colocou anúncios perto dos estádios e criou uma "Vila Nike", apesar de não ser patrocinadora oficial do evento.

"Com metade do mundo assistindo pela TV, a tentação de aproveitar-se deste evento de graça é enorme", disse Tim Jones, sócio da firma de advocacia Freshfields Bruckhaus Deringer, prestadora oficial de serviços jurídicos aos Jogos de Londres 2012.   Continuação...