Platini é interrogado pela promotoria suíça no caso Sion

quarta-feira, 19 de outubro de 2011 12:33 BRST
 

Por Denis Balibouse

RENANS, Suíça (Reuters) - O presidente da Uefa, Michel Platini, foi interrogado nesta quarta-feira pela promotoria suíça para explicar por que a entidade que comanda o futebol europeu ainda não acatou a ordem de readmitir o Sion na Liga Europa.

Platini passou quase duas horas na promotoria do cantão de Vaud. Depois foi a vez do secretário-geral Gianni Infantino prestar depoimento.

"O presidente está muito feliz por ter conseguido responder às perguntas do promotor", disse Alexandre Fourtoy, porta-voz da Uefa, a jornalistas. "Não iremos comentar mais nada para que a Justiça possa reunir as informações e tirar suas conclusões".

O Sion foi eliminado pela Uefa da Liga Europa por colocar em campo atletas irregulares nas partidas classificatórias contra o escocês Celtic, em agosto.

O clube perdeu seus recursos junto à Uefa e, desafiando a proibição da entidade e da Fifa de recorrer à Justiça comum, obteve uma limitar de um tribunal suíço.

A Uefa ainda não cumpriu a ordem judicial, e está sendo multada em mil francos suíços (1.113 dólares) por dia enquanto isso não ocorrer.

A entidade argumenta que seus estatutos proíbem a revogação de uma decisão tomada por seu tribunal disciplinar independente.

Na segunda-feira a Uefa enviou ao tribunal um documento sugerindo maneiras pelas quais o Sion poderia ser integrado ao Grupo 1 da competição, onde o Celtic assumiu o lugar do clube suíço, junto com Atlético Madrid, Rennes e Udinese.   Continuação...

 
Presidente da Uefa, Michel Platini (dir), e o diretor de comunicações da Uefa, Alexandre Fourtoy, deixam o escritório do promotor público Eric Cottier, perto de Lausanne, na Suíça. Platini foi interrogado nesta quarta-feira pela promotoria suíça para explicar por que a entidade que comanda o futebol europeu ainda não acatou a ordem de readmitir o Sion na Liga Europa.
 19/10/2011   REUTERS/Denis Balibouse